Scones de Iogurte Grego

IMG_1254

O temporal chegou de mansinho e está instalado. O frio insiste em ficar, afinal, ainda é Inverno. O mesmo frio que me agarra desesperadamente todas as manhãs à cama é o mesmo que me impele a ligar o forno. E este simples gesto sabe tão bem…

IMG_1256

Sei o que quero fazer, scones de iogurte. Vejo o frigorífico, pois sei que tenho um com validade a caducar, e, não hesito, tiro o iogurte grego com pedaços de morango. Estou confiante 🙂

IMG_1257

Sigo a receita, em inglês, anotada no meu velho caderno e sem a devida fonte anotada, mea culpa, mas na altura não imaginava um dia ter blog. Por isso aqui fica o registo de que a receita não é da minha autoria mas deixo a minha experiência e a minha opinião, Bons, mas, Bons mesmo! E tão fáceis de fazer. Foram os meus primeiros scones estendidos com o rolo da massa e com este formato. Afinal eu sou capaz 😉

sconesigrego

Não fosse ter-me descuidado com a quantidade de aroma de baunilha e a massa teria ficado mais clara. Muito bons. Um perfeito equilíbrio entre o miolo macio, quase a fazer lembrar um bolo, e a capinha crocante.

Ingredientes: 280gr de farinha Branca de Neve; 50gr de manteiga aos cubos; 1 colher de chá de bicarbonato de sódio; 1 iogurte de iogurte grego com pedaços de morango; 1 ovo tamanho S; 50ml de leite; aroma de baunilha

Pré-aquecer o forno a 220ºC.

Colocar a farinha com a manteiga num processador de alimentos, que na minha casa se chama picadora grande 🙂 , e triturar até estar tudo bem misturado. Em alternativa podem-se utilizar os dedos ou mesmo um garfo para misturar a manteiga com a farinha. Numa pequena taça colocar o iogurte, o leite e a baunilha. Mexer com uma vara de arames. Por fim juntar o ovo e misturar tudo muito bem.

Despejar a mistura líquida na farinha, previamente misturada com a manteiga, e mexer com uma colher-de-pau apenas para ligar. Não amassar.

Na bancada enfarinhada colocar a mistura toda e com as mãos enfarinhadas moldar uma bola, amassando o mínimo possível. Forrar um tabuleiro com papel vegetal e colocar a bola de massa em cima. Com a ajuda do rolo estender em forma de círculo. Cortar em forma de triângulos, sem a faca tocar totalmente no tabuleiro, mas de modo a que estes se mantenham unidos durante a cozedura.

Pincelar com leite e vai ao forno cerca de 15m. Deixar arrefecer numa rede. São deliciosos mornos ou frios.

Boa semana.

Papas de Aveia Cremosas

Nem sempre é o método tentativa-erro que aponta para outra direcção. Quantas vezes aceitamos o que temos por certo e garantido e  deixa-mo-nos ficar ali, naquele porto de abrigo seguro.

Gosto muito de papas de aveia mas nunca me conformei com o facto de ter que as comer com alguma rapidez para evitar comer papas com efeito cimento.

E já deixei de seguir instruções, se bem que aconselho sempre a segui-las. Estou tão profissional a fazê-las que as quantidades já saem por intuição, assim como tê-las cremosas como tanto gosto 🙂

E, agora que o verdadeiro Outono se instalou, poucas são as coisas que me confortam tanto como umas papas de aveia pela manhã.

Papas de Aveia Cremosas 

  • Devem-se começar por respeitar as quantidades e as proporções, 2 medidas de líquidos para 1 de flocos de aveia.
  • Devem cozinhar-se sempre em lume brando e ir mexendo sempre com uma vara de arames.
  • Assim que começarem a ficar com ar de papa desligar o fogão e deixar repousar 1-2m.
  • Como se poderá notar, ao fim deste tempo os flocos incharam ainda mais e o aspecto empapado torna-se mais evidente.
  • Terminado o tempo de repouso adicionar um pouco de leite frio – as papas não ficam frias – e ir mexendo novamente com a vara de arames de modo a que fiquem soltas e cremosas.

Não costumo colocar açúcar nas papas de aveia, por vezes uso fruta, compotas, mas sempre canela. Cada um adoça com o que mais apetecer, mel, chocolate, compotas, açúcar. São uma excelente forma de começar o dia. Cheias de fibra, são boas aliadas na perca e manutenção de peso já que têm uma grande capacidade de saciar por mais tempo.

P.S. O blog continuará em modo de publicação automática. Bom fim-de-semana e obrigado pelas vossas sempre tão simpáticas visitas.

Reeducar-ME

Não tenho passado fome, e, sempre que assim o entendo, e, usando a regra do bom senso, como mousse de chocolate ou uma fatia de pizza sem qualquer sentimento de culpa. Podia evocar inúmeros motivos para a minha engorda, mas, o único motivo sou eu. Não vale culpar mais ninguém quando sabemos qual o foco do problema. Há antes que resolvê-lo, se tivermos vontade é claro. Dando 1 passo de cada vez, desde que tomei a decisão de mudar este aspecto da minha vida, o peso, há pouco mais de 2meses, já perdi 8kg, com os meus conhecimentos, a minha força de vontade, e, 2 crianças para cuidar 14h a 16h por dia. Impossível? Não, é POSSÍVEL e por isso partilho um pouco da minha experiência na esperança que a mensagem passe para esse lado e possa ser uma motivação positiva.

Levar as crianças a passear em centros comerciais pode parecer in mas cansam-se depressa de algo que não tem interesse para elas. Ao invés disso, uma bicicleta, quando já têm idade, 3 anos pareceu-me bem, e, muito incentivo formam uma dupla perfeita. As crianças precisam de gastar energias e por norma adoram andar de bicicleta. Escolher um sítio adequado para elas andarem e traçar um plano alimentar, saudável e cuidado, exercícios, e, um objectivo. O processo é mais lento que um ginásio é certo, afinal não se está concentrada apenas na velocidade de uma elíptica ou no número de séries que se fazem nas máquinas de pesos. O maior e melhor incentivo dos nossos objectivos devemos ser nós próprios, só assim as coisas funcionam. É o fazer para mim e por mim que marcam a diferença. Aprender a olhar ao espelho e a valorizar-mo-nos independentemente do peso é a regra nº1.

Ser mãe a tempo inteiro é bom, é mau, é assim assim e há dias que me apetece desaparecer. É muito fácil haver deslizes, e, é muito fácil cair na tentação de nos anularmos como mulher. Para mim, é ponto assente, que, eu anular-me Não. Faço tudo o que puder pelas minhas filhas, mas, só pensando um pouco em mim consigo dar o meu melhor e estar a 100% para elas. Se pode soar a egoísmo? Pois pode. Mas desde sempre quis que elas percebessem que se um dia cedo eu outro dia cedem elas. Por isso, e, apesar de gostarem de andar de bicicleta é óbvio que preferem ir a banhos com este calor, mesmo que ele nem sempre apareça. Entramos em negociações. Banhos pela manhã e bicicleta ao final do dia, leia-se eu fazer o meu exercício, que, me alivia sobretudo a mente. E, quando a negociação falha entra em acção o chamado reforço positivo, “se forem com a mãe tomam banho sozinhas”. Um obejctivo que alcançamos no mês passado e do qual elas já não abdicam, a sua independência para tomarem banho sozinhas, à vez, e sob a minha supervisão. Chamem-lhe o que quiserem mas estou convicta que, a elas, como futuras mulheres, é um bom exemplo que lhes dou.

1 passo de cada vez, e, pela manhã, aveia com fruta fresca é o melhor passo para começar bem o dia. E não, não passo fome. O segredo, que não é segredo, é mesmo comer várias vezes ao dia. Generosas porções de verduras e sempre um pouco de proteína animal, dando prefrência ao peixe. Comer menos daquilo que antes se comia mais e entre refeições fruta ou amêndoas. Água e chá verde são essenciais, para manter o corpo hidratado. Sempre que possível caminhar, correr atrás das nuvens, do ventos, dos filhos, mas sobretudo correr atrás dos nossos obejctivos, não desistir é a palavra de ordem.

No fundo todas/os sabemos bem como fazer as coisas da forma correcta, mas pelas mais variadas razões nem sempre as fazemos. Cabe a cada um de nós saber quais os seus limites e objectivos.

Eu, quis e quero fazer as coisas bem porque:

  1. Quero olhar ao espelho e gostar do que vejo, e, este é mesmo o motivo número 1. Se eu não gostar de mim…
  2. Quero ser um bom exemplo para as minhas filhas. Quero que cheguem à adolescência e não fujam de mim na rua, ou, porque sou um atentado à moda ou porque estou fora de forma. Quem nunca sentiu vergonha dos pais em algum momento da sua adolescência que levante o dedo, eu, só quero minimizar o risco.
  3. Quero viver mais e melhor por elas e para elas, e, um dia mais tarde, para os meus netos. (parece a conversa de quem já tem 50 anos  🙂 )

Se alguém quiser saber mais algumas informações ou apenas trocar impressões sobre o tema podem enviar-me um e-mail para o saborezcomhistoria@gmail.com que responderei com todo o gosto. Este post dava pano para mangas, por isso, irei abordando o tema ao longo do tempo.

Obrigado a todos/as que por aqui passam e até já.

Abacaxi e Banana

Ainda que sinta uma pequena ansiedade pelos dias quentes e soalheiros do Verão, na verdade, estou a gostar destes dias amenos. A água do mar está fria e os ventos que sopram de Norte e Noroeste não convidam a banhos. Continuam a convidar a passeios ao ar livre, a exercícios, a boa disposição e a batidos matinais.

A sugestão de hoje tem tudo para ser diurética, mas como também preciso de energia não podia faltar a banana. Quem diria… eu a comprar a bananas para comer… aliás, beber.

Boa semana.