Quase Broa de Milho…

IMG_1349

… mas não é. A julgar pelo sabor e pela cor quase me enganou.

IMG_1348

E assim fiz o meu primeiro Irish Soda Bread. Depois de muito adiar, a falta de pão para os lanches do dia foram o mote para a experiência.

IMG_1347

Muito simples de fazer. Quase a lembrar o Artisan Bread. Mas, o que me impressiona é  facto de não levar fermento, pois, é a acção do bicarbonato de sódio em conjunto com o buttermilk que faz o pão crescer. O resultado é um pão muito saboroso, miolo macio e consistente, e, côdea crocante.

irishstep

Usar como medida um copo medidor com capacidade para 240ml.

Ligar o forno a 200ºC

  1. Colocar 420ml de leite num copo e juntar 20ml de sumo de limão ou vinagre e deixar repousar 15m. O leite irá coalhar mas é mesmo assim
  2. Numa taça colocar 4 cups de farinha, usei Nacional T55, misturar 1 colher de sopa rasa de bicarbonato de sódio e 1 colher de chá de sal fino. Misturar bem. Abrir uma cova e adicionar o leite coalhado.
  3. Com uma colher de pau envolver a mistura apenas o suficiente até estarem os ingredientes ligados.
  4. Polvilhar a bancada com farinha e colocar a massa em cima.
  5. Untar um pirex de forno com um pouco de manteiga. Costumo usar uma folha de papel, é prático e não se suja nada.
  6. Moldar a massa, não amassando, e colocar no pirex. Fazer uma cruz com uma faca e vai ao forno cerca de 45m, mas convém ir vigiando a cozedura.

Não menos importante:

Se a massa começar a ficar muito escura tapar com uma folha de alumínio.

Se não tiver pirex de forno basta colocar a massa num tabuleiro forrado com papel vegetal. O pirex apenas lhe dá uma forma mais redonda.

A 10-15m do final da cozedura deve tirar-se do pirex, e, colocar-se no forno sob a grade para terminar de cozer, secar a humidade e tornar a côdea mais crocante.

Aproveito para vos desejar um bom fim-de-semana e votos e um excelente dia.

Até já.

Anúncios

Sem Tempo mas com Bolo

Como o tempo passa…

Entre aniversários de miúdos e graúdos, outros que se avizinham, e as festas de época, ando sem tempo para o blog. Espero que ele me perdoe, e quem me acompanha também.

Os motivos são bons mas não esticam o meu tempo. Há muito para contar mas ainda não vai ser desta que só isso merece um post.

E como o tempo não tem dado para novas experiências partilho um post com uma receita bem antiga e conhecida de todos.

Até breve. Obrigado por continuarem desse lado.

Ingredientes: 1 iogurte de aroma à escolha, 4 ovos, 1,5 copo de açúcar, 2 copos de farinha com fermento, 1 copo de farinha Maizena, 1 copo mal cheio de óleo.

Usar como medida o copo do iogurte= 125gr

Ligar o forno nos 200ºC. Bater as claras em castelo até estarem cremosas. Bater as gemas e o açúcar até obter um creme amarelo e fofo. Juntar o iogurte, o óleo, e, bater novamente. Adicionar as farinhas previamente peneiradas e bater usando a batedeira. Por fim adicionar as claras em castelo e envolver de baixo para cima de modo a que a massa ganhe volume. Distribuir as formas de papel por um tabuleiro de muffins e encher com massa até 3/4 da capacidade. Polvilhar com açúcar e canela. Diminuir o forno para os 180ºC e levar a cozer cerca de 20m. Assim que o palito sair seco retirar de imediato. Deixar arrefecer uns 3m ainda no tabuleiro e só depois transferir para uma rede para arrefecerem.

Pão Integral de Iogurte

IMG_0457

O tempo tem chegado para umas coisas e faltado para outras. Ainda assim, o balanço é positivo. Até ao final do ano o blog continuará em câmara lenta, assim como as minhas visitas que se têm resumidos a momentos fugazes 2 ou 3 vezes por semana. A seu tempo partilharei as andanças por estes lados. Até lá agradeço mais uma vez a quem dispõe do seu tempo para vir até aqui, olho os mapas das estatísticas e fico sem palavras ao ver as centenas de pessoas que por aqui passam diariamente. Obrigado por me fazerem sorrir, por me lerem e continuarem aí desse lado mesmo sabendo que eu não estou tão presente quanto gostaria.

Agora, uma receita de pão já aqui partilhada mas desta vez com misturas de farinhas integral, T55 e centeio. Uma boa combinação e um pão muito fácil e saboroso. Espero que gostem e boa semana.

IMG_0458

Ingredientes:
  • 200ml de água
  • 25ml de leite
  • 1 iogurte natural
  • 5gr de sal
  • 250gr de farinha T55
  • 175gr de farinha T55
  • 125gr de farinha de Centeio
  • 7gr de fermento seco para pão
Aquecer o leite com a água até ficar morno e colocar na cuba da máquina do pão juntamente com o açúcar. Colocar o iogurte.
 
Juntar as farinhas e por fim o fermento. Escolher o programa que amassa e leveda.
 
Pré-aquecer o forno a 200ºC. Findo o tempo retirar para a pedra enfarinhada com farinha de milho e tirar o ar à massa moldando um cilindro.
 
Untar uma forma de bolo inglês e colocar a massa. Deixar levedar 20m. Vai ao forno 25-30m.
 
Passado esse tempo retirar da forma e volta de novo ao forno até ganhar cor a gosto. Deixar arrefecer numa rede afim de libertar a humidade criada durante a cozedura.

Pães de Buttermilk ao Pequeno Almoço

Clicar na imagem para ver melhor o interior

A noite fez-se de trovoadas e muita chuva, e a cama ganhou novas habitantes durante a noite. Ao deitar vi a receita. Estipulei que o tempo que levariam a estarem prontos seria a tempo de serem saboreados ao pequeno-almoço, e, também, seriam o lanche para a escola barrados com Nutella. 

São muito fáceis de preparar e ficam, mesmo, muito fofos sem que a parte exterior fique mole. A faca faz um corte perfeito sem que o miolo se desfaça em mil pedaços. Uma receita com direito a repetições. Apenas 15ml de manteiga, 30gr de açúcar e um pouco de farinha integral e ficam prontos em 1H.

Isto sim, um bela e deliciosa forma de começar o dia. E, nem o dia cinzento lá fora estragou as fotos 🙂

Vai um pãozinho?

Pães de Buttermilk 

Usar como medida um copo medidor com capacidade para 250ml

  • 375ml de buttermilk = 360ml de leite + 15ml de sumo de limão. Aguardar 15m e está pronto a utilizar
  • 15ml de creme culinário – Usei Vaqueiro 
  • 30gr de açúcar
  • 2 copos de farinha T65
  • 0.5 copo de farinha integral
  • 2 embalagens de fermento Vahiné – 2*4.6gr

Colocar na máquina de fazer pão seleccionar o programa que apenas amassa, na minha 15m.

Terminado o tempo colocar a massa na bancada enfarinhada e moldar os pães. Eu dividi em porções de  cerca de 90/100gr.

Forrar o tabuleiro do forno com papel vegetal e colocar os pães a levedar dentro do forno ligado a 50ºC cerca de 20m.

Findo o tempo de levedação retirar o pães e pincelar com ovo batido. Aumentar a temperatura para os 180ºC e levar ao forno até estarem dourados.

Deixar arrefecer numa rede e servir mornos ou mais frios. São deliciosos das duas formas. Sobraram 2 pães que foram comidos no dia seguinte, e, devo dizer, que, fui surpreendida pelo miolo ainda macio e o pão nada seco. Talvez porque os guardei em sacos zip loc. 

Um bom fim-de-semana e obrigado pela vossa visita.

Queques de Iogurte com Crosta de Canela e Açúcar

As semanas têm passado sem que dê por isso, e, apesar deste calor que insiste em ficar apetece ligar o forno. E ligo. E repito a receita simples que todos já sabem de cor, bolo de iogurte. Como sempre, a farinha Maizena dá uma leveza à massa tornando o bolo muito macio. Já me têm dito que parece bolo feito com fécula de batata. E parece, e sabe diferente. E é bom. Muito bom mesmo. A crosta de açúcar e canela combinam na perfeição com a simplicidade desta já conhecida receita.

Usar o copo como medida=125gr

Ingredientes: 4 ovos, 1 iogurte de aroma à escolha, 1,5 copo de açúcar, 2 copos de farinha com fermento, 1 copo de Maizena, 1 copo mal cheio de óleo, canela em pó e açúcar qb para a crosta

Ligar o forno nos 200ºC. Bater as claras em castelo até estarem cremosas. Bater as gemas e o açúcar até obter um creme amarelo e fofo. Juntar o iogurte, o óleo, e, bater novamente. Adicionar as farinhas previamente peneiradas e bater usando a batedeira. Por fim adicionar as claras em castelo e envolver de baixo para cima de modo a que a massa ganhe volume. Distribuir as formas de papel por um tabuleiro de muffins e encher com massa até 3/4 da capacidade. Polvilhar com açúcar e canela. Diminuir o forno para os 180ºC e levar a cozer cerca de 20m. Assim que o palito sair seco retirar de imediato. Deixar arrefecer uns 3m ainda no tabuleiro e só depois transferir para uma rede para arrefecerem.

P.S. Perdoem-me a minha ausência e a falta de resposta aos simpáticos comentários. Vou ter que me organizar melhor nesta área, definir um método, arranjar forma de fazer algo que tanto gosto, visitar os blogs que sigo e aprender convosco. Bom fim-de-semana.

Pão de Brioche

Fui buscar à arrecadação a máquina do pão. Já apetece, apesar do tempo quente. A minha mãe e a minha avó chamavam a este tempo o “Verão dos marmelos”. E ao outro que se segue “Verão de São Martinho”. Ainda assim, o tempo ainda quente não me impediu de ligar o forno e testar uma das receitas do livro 200 Receitas de Pão de Joanna Farrow. E gostei muito da massa deste brioche. Os 3 ovos pedidos e a pouca manteiga utilizada foram uma ajuda na hora de escolher a receita. Adorei e quero fazer com outro formato. Usei uma forma de muffins e a massa rendeu-me 9 unidades com cerca de 50gr cada.

Ingredientes: 3 ovos batidos, 75gr de Vaqueiro líquida, 1/4 de colher de chá de sal fino, 250gr de farinha T65, 25gr de açúcar, 1 colher de chá de fermento seco – usei vahiné, gema de ovo para pincelar.

Colocar os ingredientes na máquina de fazer pão pela ordem acima descrita. Seleccionar o programa que amassa apenas, na minha 15m. Findo o tempo colocar a massa na bancada enfarinhada e dividir em bolas de igual peso. Untar um tabuleiro de muffins  e distribuir as bolinhas de massa pelas respectivas cavidades. Untar película aderente e tapar o tabuleiro sem pressionar. Deixar levedar até que dupliquem de tamanho, cerca de 45m. Ligar o forno durante 5m a 220ºC para aquecer. Misturar a gema de ovo com uma colher de sopa de água e pincelar os brioches. Diminuir o calor do forno para 180ºC e deixar os brioches cozer até estarem dourados. Depois de cozidos, retirar do forno e deixar arrefecer um pouco no tabuleiro. Só depois transferir para uma rede para terminarem de arrefecer.

Notas: Durante muito tempo andei a pensar como adivinhar a capacidade das colheres, e acabei por perceber que as colheres medidoras que tinha na gaveta são perfeitas. As suas medidas variam entre 15ml – colher de sopa – e 1,25ml – penso que seja a colher de chá. Se os brioches estiverem a ficar queimados devem tapar-se com folha de alumínio até terminarem a cozedura. Assim que se introduzir um palito e este sair seco retirar de imediato do forno.

Tenham um bom dia, que, apesar das nuvens também é um dia bom 😉

Scones Integrais e o Feitiço da Lua

Há luas que se deitam e acordam connosco. Há espectáculos da natureza que só uma boa máquina fotográfica pode captar, o que não é o caso da minha. Ainda assim, o sentimento que se tem quando se vê uma lua bem redonda e brilhante pintada no quadro do amanhecer é inexplicável, e, nem a melhor máquina o consegue captar. Talvez seja o feitiço da Lua.

E, eu cada vez gosto mais de poder acordar bem cedo e fazer parte do acordar deste lado do mundo.

Os scones da Leonor dormiram comigo no pensamento e despertaram-me pela manhã. O cheiro acolhedor que saia do forno acordou as mais preguiçosas.

Ao contrário da Leonor que se esqueceu do buttermilk* eu decidi não me esquecer e ainda fiz umas trocas pequeninas. A farinha integral deu-lhe um gosto muito bom. O bacon foi substituído por fiambre, queijo e doce de pêssego. Muito fáceis e rápidos de fazer. É uma receita muito prática e que se presta às mais variadas combinações cujos resultados aqui serão mais tarde partilhados.

Buttermilk é aquilo que se pode chamar de leite coalhado e serve para tornar as massas mais macias. Faz-se usando 250ml de leite aos quais se adicionam 15ml de sumo de limão. Aguarda-se 10m e está pronto a usar.

Scones Integrais

200gr de farinha T55, 25gr de farinha integral, colher de café de bicarbonato de sódio, 30gr de açúcar, 200ml de buttermilk – neste caso usei 185ml de leite+15ml de sumo de limão.

Preparação: Ligar o forno a 220ºC. Forrar um tabuleiro com papel vegetal. Numa taça colocar os ingredientes secos e misturar. Abrir uma cova ao centro e colocar o buttermilk. Envolver com a ajuda de uma colher sem bater demasiado. Apenas o suficiente para os ingredientes estarem ligados. Polvilhar a bancada com farinha e colocar a massa. Com as mãos enfarinhadas moldar bolas de tamanho a gosto e colocar no tabuleiro. Fazer uns cortes em cruz com a ajuda de uma tesoura. Levar ao forno até estarem dourados, cerca de 15m. Colocar numa rede e servir mornos.

Simplesmente Chocolate…

O Inverno chegou, e, com ele, o vento que levou as minhas promessas de ser menos gulosa. Estes pãezinhos de chocolate são divinais. À primeira dentada estava viciada, e depois tive que comer mais 2 para me certificar. Parecia que estava a comer bolas de berlim quentinhas, a massa ficou igual, o recheio de Tulicreme , que se revelou *desastroso no tabuleiro do forno, foi o acompanhamento perfeito. Nem uma bola de berlim me ia saber tão bem.

*o tulicreme rompeu pelos lados de alguns pãezinhos e banhou parte do tabuleiro. Curiosamente não se agarrou à parte de baixo mas apenas dos lados.

Ingredientes: 125ml de leite morno, 30ml de vaqueiro líquida, 1 ovo batido, pitada de essência de baunilha, 30gr de açúcar, 3gr de sal, 275gr de farinha T65 Espiga, 5gr de fermento seco.

Colocar todos os ingredientes na mfp pela ordem acima. Escolher o programa que amassa e leveda. Polvilhar a bancada com farinha e as mãos. A massa vai estar um pouco pegajosa. Forrar o tabuleiro do forno com papel vegetal. Dividir em bolas de 60-70gr e esticar com o rolo dando a forma rectangular. Barrar com *tulicreme e enrolar de modo a fechar bem. Colocar 15m no forno ligado a 50ºC. Findo esse tempo retirar do forno e aumentar a temperatura para os 200ºC. Pincelar com ovo batido e colocar no forno os pãezinhos até estarem dourados.

Comer morno com um copo de leite fresco.

*tulicreme provavelmente, existe um método, quer dizer, um chocolate para o efeito, alguém me sabe dizer qual e onde comprar.

Bom fim-de-semana. Afinal parece que é Primavera mas ninguém diria. Brrrr está frio 🙂

Brioche de Iogurte

Todos temos hábitos, pequenos rituais. Até lhes posso chamar manias, mas, essas são para mim, aqueles hábitos que nos caracterizam e que por vezes tiram do sério quem está perto de nós. Eu, tenho algumas. Não gosto de ver água no lava-loiça. Os objectos têm uma posição específica e várias vezes dou por mim a olhar em redor e ver se está naquele preciso local, milimetricamente desenhado para ele. Não gosto de cabelos no chão, verifico 1987 vezes as janelas e portas antes de dormir, num ritual frenético que pode ter intervalos de 15m entre cada nova revista.  Sim, quer dizer que vejo e revejo vezes sem conta portas e janelas. Tenho uma paranóia acentuada com as chaves de casa e do carro. A coisa atenuou um pouco quando resolvi juntar as chaves de casa e do carro no mesmo porta-chaves. A minha mala é revistada vezes sem conta num passeio de 30m para ver se as ditas cujas estão lá. À mesa as coisas repetem-se um pouco mas com menos intensidade, pois tudo tem que esta devidamente alinhado, pratos, talheres, copos, etc. Ser mãe muda-nos, e, a mim ajudou-me a ser menos certinha, com tudo alinhado. Ensinou-me que o chão vai ficar sujo com comida, as paredes, a roupa, os móveis, nada escapa às brincadeias de 4 mãozinhas cheias de energia. É bom, isso é muito bom, reconheço. E, porque há novos hábitos, partilho mais uma vez o Brioche de Iogurte que já se tornou um clássico cá por casa. Fica sempre bem, fácil de executar e ninguém lhe resiste ao seu miolo macio.

Pão de Cerveja

As fotos da Duxa bastaram para me incentivar a fazer este pão, e, gostei. Não tinha cerveja preta… usei cerveja normal. Não tinha a quantidade de centeio… usei farinha espelta, centeio, milho e trigo. Ah e matei a curiosidade, não sabe a cerveja. Fica um pão muito saboroso, de côdea crocante e miolo macio mas firme.

Ingredientes:
300ml de cerveja
25 de margarina líquida
5gr de sal fino
20ml de mel
300gr de farinha T65
75gr de farinha de centeio
75gr de farinha de milho
100gr de farinha espelta
5gr de fermento seco

Colocar todos os ingredientes na máquina do pão pela ordem acima indicada. Escolher o programa que amassa e leveda. Findo o tempo retirar o ar e dar a forma pretendida. Pincelar com água onde se colocou umas pedrinhas de sal e polvilhar com farinha. Deixar levedar cerca de 20m, o meu levedou mais, descuidei-me, por isso o miolo abriu mais um pouco mas o ideal será antes de começar a rachar enquanto leveda. Levar ao forno pré-aquecido a 200ºC cerca de 20m. Deixar arrefecer numa rede.

Para Ele…

… vai sempre existir uma faca na minha gaveta e um bom pedaço de manteiga à sua espera. Cada vez que o faço surpreendo-me sempre. 4 simples ingredientes e o resultado é um pão sempre macio por dentro e bem estaladiço por fora. Partilho mais uma vez uma das receitas mais faladas pelos blogues de culinária, O Artisan Bread.

Ingredientes:
1kg de farinha T65
700ml de água – como está calor usei à temperatura ambiente, no inverno deverá estar morna
11gr de fermento seco
5gr de sal fino

Num recipiente plástico suficientemente largo ou alto com tampa, o meu é largo e tem capacidade para 4L, colocar a água e o fermento. Misturar bem com uma vara de arames. Adicionar a farinha e o sal. Envolver tudo muito bem e lentamente. Não precisa amassar, basta que esteja tudo misturado. A massa irá estar cheia de grumos, é mesmo assim. Polvilhar com farinha de milho, ajuda a criar uma crosta ainda mais estaladiça. Deixar repousar 2h à temperatura ambiente. Findo o tempo tapar e guardar no frigorífico ou usar de imediato. Sempre que se quiser pão fresco basta tirar uma porção de massa com as mãos bem enfarinhadas em farinha de milho, moldar sem amassar e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal e deixar repousar 30m. Durante este tempo o forno deverá estar ligado a 190ºC. Passados os 30m pegar na folha com o pão e colocar dentro de uma forma de bolo inglês, isto se pretender um pão com o formato que está na foto. Poderá fazer redondo, bolinhas, o que mais apetecer. Colocar no forno e deixar cozer  até dourar a gosto. Cerca de 10m antes de estar pronto retirar da forma e voltar a colocar no forno. O pão estará cozido assim que bater nele e ouvir um som oco.

Pão de Pirex

Depois de muito ver o dito cujo tão elogiado e ver uma série de fotos acabei por me decidir a experimentar o Pão de Pirex. A receita encontrei-a no Forum da Bimby. Para muitos talvez já não deva ser novidade mas de qualquer forma para quem ainda não experimentou aqui ficam as minhas considerações. É realmente muito prático de fazer tendo em conta que não necessita de tempo de levedação. Por fora fica uma côdea bem crocante, miolo bem macio e que não se desfaz. Esteja morno ou já frio aconselho a esconder a manteiga. Perfeito para quando não há pão e para quando há. Perfeito para a gula. Clicar em cima da foto para ver melhor.

Ingredientes:
175gr de água
20gr de azeite
5gr de sal fino
300gr de farinha T65
6gr de fermento seco

Colocar na mfp pela ordem acima e escolher o programa que apenas amassa, 15m. No entanto ao fim de 6m eu desliguei a tirei a massa. Formei uma bola e coloquei num pirex untado com azeite e polvilhado com farinha. Untei também a massa e polvilhei com farinha. Tapar e vai ao forno a 200ºC até estar dourado. Cerca de 45m. O meu pirex não tinha tampa por isso improvisei usando uma tarteira. O forno só deve ser ligado assim que se coloca o pirex dentro. Segundo li enquanto o forno atinge a temperatura escolhida a massa leveda. Bom fim-de-semana.