Scones, porque sim

6 longos meses sem postar qualquer artigo e ainda assim houve nesta semana quem se juntasse aos amigos na página do facebook.

Porque sim.

Scones

150gr branca de neve

100gr farinha sem fermento tipo 55

30gr de manteiga em pedaços

Colher de café de fermento para bolos

125ml de leite + 70ml água

Aquecer o forno a 210C. Num processador colocar as farinha, fermento e manteiga. Pulsar até estar bem ligado. Colocar numa taça larga e abrir cova ao centro. Colocar aos poucos a água misturada com o leite e com um garfo ir amassando. Quando terminar o líquido termine de amassar dando forma à massa. Não amassar demais, apenas dar forma.

Forrar um tabuleiro com papel vegetal. Colocar a bola de massa em cima e com a ajuda das mãos moldar um círculo.

Com um cortador redondo ir fazendo pequenos discos. Pincelar com um pouco de leite e levar ao forno cerca de 14m ou até estarem dourados em cima.

Comer mornos.

Sabem aquela receita que andamos sempre à espera que apareça? Pois bem, encontrei.

Até breve

Salmão… Para aqueles dias

Salmão no forno fácil

Para aqueles dias mais atarefados e para os outros também.

Faz bem, sabe sempre bem, e o forno ligado nestes dias torna tudo ainda melhor.

Salmão no Forno

Numa travessa colocar azeite, alhos esmagados e umas pedrinhas de sal.

Colocar o salmão e temperar a gosto. Eu uso sempre um tempero da Margão de ervas que dá um sabor fantástico ao peixe.

Depois é só colocar no forno pré-aquecido a 180 C e deixar cozinhar cerca de 15/20 minutos dependendo do tamanho dos lombos.

Convém ir vigiando para que não fique seco.

Até breve

Coelho e Cenouras

IMG_2300

Ironia do destino juntar no mesmo tacho coelho e cenouras. Curiosamente ficam lindamente juntos.

Completamente viciada na mistura da Margão – Alho e Ervas Aromáticas  , vai bem com tudo e no coelho não podia faltar.

Se ficava bem sem este tempero? Talvez, mas, desde que veio cá para casa dá nova vida aos pratos e somos inseparáveis.

Coelho com Cenouras e mais uns pózinhos

1 coelho partidos em pedaços

Tempero da Margão – alho e ervas aromáticas

3 dentes de alho grandes e esmagados

pimentão doce

1 cebola grande

250ml de cerveja + 250ml água

azeite e sal qb

coentros

Temperar o coelho com sal e Margão e deixar repousar 30m. Descascar cenouras e cortar em palitos grossos.

Numa frigideira larga colocar azeite e os alhos esmagados. Assim que estalarem colocar o coelho e deixar dourar cerca de 3 a 4 minutos de cada lado voltando-o apenas 1 vez.

Num tacho – usei panela de pressão – colocar azeite e a cebola e deixar refogar até esta estar macia. Adicionar o coelho e deixar alourar mais um pouco envolvido na cebola.

Na frigideira onde se dourou o coelho salteiam-se previamente as cenouras que depois de juntam ao coelho.

Colocam-se 250ml de cerveja e depois de levantar fervura aguarda-se cerca de 3 minutos. Findo este tempo junta-se a água.

Coze em pressão 20m. Caso fique com água a mais tira-se a panela e deixa-se reduzir o molho por mais 5 a 8 minutos.

Servir com coentros frescos picados.

Fica delicioso e é muito fácil de preparar. As cenouras ganham outro sabor, assim como o coelho, sendo salteados antes de ir para a panela.

Até breve e boas férias se for esse o caso.

For Eggs Lovers

IMG_4520.1

Já nem conto os ovos que como mas sei que o vício é terrível. Há dias acabaram-se ao jantar, pânico na minha cabeça. Na manhã seguinte, assim que pude, fui logo comprar 3 dúzias, só para precaver. E duraram 1 semana, por aí. Não os comi todos, é que uma coisa tão boa e nutritiva é para dividir 🙂

Com tanto tomate pelas bancas do mercado é impossível resistir-lhe e não fazer ovos com tomate em 15m. Eu e a minha irmã temos comido tachadas deles com ovos, numa média de 2 x por semana. As cebolas que a avó da E. me ofereceu foram o par perfeito.

Ovos com Tomate

No wok colocar azeite e alhos q.b. Colocar cebola às rodelas e deixar refogar um pouco. Juntar o tomate picado. Temperar de sal e pimenta e deixar cozinhar tapado cerca de 10m. Por fim adicionar os ovos, polvilhar com coentro picados e tapar novamente para que cozinhem tendo o cuidado de os deixar com a gema líquida. Servir com fatias finas de pão torrado. Bem bom.

Até breve.

Molho Bechamel de Limão

IMG_5830

Já perdi a conta aos dias que deixei de aqui vir. As semanas passam num instante, e, se ainda ontem era 2014, hoje, já Jneiro vai a mais de metade.

Para meu espanto os seguidores na página do facebook aumentaram, mesmo sem novas publicações nas últimas semanas.

Confesso que parte de mim continua a viver no tempo da pedra. Continuo com o meu telefone Nokia, de botões, sem acesso à internet, e, por isso, levo tanto tempo para me aperceber dos mimos que vão chegando através da palavras de quem lê este blog.

A panela de pressão ainda termina o jantar e neste momento ainda não passei pelo feed de notícias para saber o que agora está na moda, dos pratos às decorações.

Mais tarde, depois das barrigas cheias e felizes, prometi a mim mesma voltar para ver as novidades.

Por agora fica a receita do molho béchamel de limão, receita do livro Tesouro das Cozinheiras. Simples de preparar e fica com um gosto muito bom, a limão pois então.

Molho Béchamel de Limão

40gr de manteiga; 30gr de farinha; 400ml de leite morno; sumo de 1/2 limão, sal e pimenta qb

Colocar num tacho a manteiga e levar ao fogo até fazer espuma. Adicionar a farinha, e mexendo sempre, juntar o leite morno aos poucos deixando a farinha cozer tendo o cuidado de não fazer grumos. A vara de arames é boa para esta operação. Por fim o sal, pimenta e sumo de limão. Por precaução é melhor passar o béchamel por um passador de rede fina para eliminar qualquer grumo que possa haver.

Fiquem bem e até breve.

Esparguete com Lascas de Bacalhau e Couve

IMG_5905

O bog vai-me dizendo que os dias passam e não há novidades. Mas, o tempo tem sido pouco para tanto que há para fazer e, quando assim o é, há que estabelecer prioridades. Espero voltar em breve pois é sinal que o trabalho pendente vai sendo arquivado e consiga voltar a ter A Hora de saída.

Falando em tempo, um dia destes o jantar foi daqueles rápidos e que aconchegam a barriga. A menina menos apreciadora de bacalhau surpreendeu e comeu tudo. Bom sinal, talvez 🙂

Esparguete com Lascas de Bacalhau e Couve Lombarda

Cozer o bacalhau e desfiar em lascas – as supremas da Pescanova são perfeitas no ponto de sal e nada secas. Numa frigideira com alhos e azeite saltear couve lombarda. Temperar de sal e pimenta a gosto. Cozer o esparguete. Depois de escorrido envolver no bacalhau e na couve. Polvilhar com coentros picados e servir.

Volto em breve. Até lá votos de um bom fim.de.semana

Canjinha de Ovo

IMG_5659Sem grandes complicações ou outras preparações do género. Canjinha de ovo que faz tão bem quanto sabe. Arrisco mesmo a dizer que saberá melhor 🙂

Num tacho colocar água, sal, alhos esmagados e deixar levantar fervura. Após a fervura adicionar um fio de azeite e massinhas à escolha. Quando as massinhas estiverem cozidas adicionar os ovos batidos em fio e mexer com um garfo até cozinharem. Polvilhar com coentros frescos picados e deixar que o calor aconchegue o estômago e reconforte o corpo.

Até breve.

Ovos com …

IMG_5690.1Passaram apenas 15 dias desde o último post publicado. Sim, apenas 15. Entre mil e uma coisas a fazer a número mil e dois fica relegada para segundo plano, o blog. Não tenho visto as novidades da blogosfera e nem tão pouco as facebookianas. 

Acorda-se muito cedo, ainda a noite pinta o céu, e o resto do dia é dividido minuciosamente de modo a que não falhe a minha corrida 🙂

Os ovos hão-de ser sempre a minha perdição e não vivo sem eles. Tudo serve de pretexto para os comer, como se isso fosse preciso.

Ervilhas, arroz e ovos. Água, alhos, azeite e sal. Coentros. Colocar tudo na panela de pressão, excepto os ovos, e esperar 10m. Por fim os ovos. Esperar que cozinhem e polvilhar com coentros. Sem grandes complicações, refogados ou outros do género.

Boa semana. Eu volto em breve.

Tortilha de Frango e Cenoura

IMG_4463.1A modos que o dia promete muita ronha, céu cinzento e algumas birras pelo meio, o almoço vai ser algo do género e já previamente aprovado pela menina dos pedidos.

Assim sendo hoje é dia de tortilha.

Tortilha de Frango e Cenoura

Ligar o forno a 200ºC. Ralar batatas e cenouras q.b. Numa frigideira colocar azeite e alhos e saltear tudo até estar cozinhado, cerca de 5 a 8 minutos. Bater uns ovos com sobras de frango cozido, ou outras. Untar uma tarteira e colocar as batatas no fundo. Depois colocar a mistura dos ovos e da carne. Levar ao forno até os ovos cozinharem e ganharem cor, cerca de 10m.

Até breve e bom domingo.

Salada Low Carb de Brócolos, Couve-Flor e Pota

IMG_4669.1

O jantar de fim-de-semana foi inspirado numa sugestão da Duxa de tubos de pota.

Troquei os tubos de pota pois sou fã das argolas 🙂 Uma sugestão que combina com Verão, facilidade, economia, saúde e muito sabor.

Salada Low Carb de Brócolos, Couve-Flor e Pota

Fui preguiçosa e usei a máquina de cozer a vapor. Cortei brócolos e couve-flor q.b. e deixei cozinhar 15m. O suficiente neste método para ficarem al dente. Salteei as argolas – sem descongelar – em azeite e alhos. Temperei de sal e pimenta moída. Deixei cozinhar cerca de 2m, virando-as a metade do tempo. Coloquei os legumes numa taça e coloquei as argolas. Com o azeite temperei a salada. Juntei tomate picado e coentros e envolvi tudo. Deliciosamente fácil.

Até breve.

A Mentira da Quinoa

IMG_4629.1

A mentira não deveria nunca ser dita, mesmo quando dizemos que é por uma boa causa. Não acredito muito nesse ditado e, ainda assim, acabei por mentir “por uma boa causa”. Gosto de quinoa. Gosto de variar e gosto do seu sabor. Da versatilidade e da facilidade com que se faz. As miúdas depressa descobriram a primeira vez que era um “arroz” diferente e depressa lhe chamaram arroz de bolinhas. Não as quis contrariar e deixei-as pensar no arroz de bolinhas quando lhes disse o que era o jantar.

Achei que a comida asiática devia ter algo parecido com isto, sim, faço parte daquele grupo de pessoas, que imagino diminuto, que nunca comeu sushi ou outros do género. Que nunca foi a um restaurante Japonês ou Chinês. Curiosidade? Assemelha-se a pouco ou nenhuma apesar de me falarem maravilhas da quantidade de comida frita que por lá anda. Gostos não se discutem, diz o ditado.

Havia um lombinho de porco e só pensava em juntá-lo a couve e pimento. Assim foi. Uma combinação feliz e comida até à última bolinha. Ser criança também é deixá-las imaginar, dar nomes às coisas. Uma mentira inocente com um nome familiar. Para complicar já basta quando começamos a crescer.

Quinoa com Couve e Lombinho de Porco

Cortar o lombinho e fatias bem finas. Colocar numa frigideira com alhos esmagados e pimento amarelo aos pedaços. Assim que estalarem colocar a carne e saltear. Temperar de sal. Quando a carne estiver cozinhada juntar a couve em juliana e deixar cozinhar um pouco. Enquanto isso cozer a quinoa num pouco de água com sal. No fim adicionar a quinoa e envolver tudo. Polvilhar com coentros picados e desfrutar da simplicidade cheia de sabor.

Esparguete de Sardinha

IMG_4622.1

Em modo de sabores com história. O calor está instalado anunciando a chegada silenciosa do Verão. Não apetecem comidas morosas. Os sabores querem-se simples e descomplicados. Da gaveta tiram-se memórias de um tempo de rigorosa gestão do orçamento. Num tempo em que comia vezes sem conta esparguete com sardinha sob o olhar de admiração das colegas de casa e ouvia a pergunta do costume: “Tu não enjoas?”. Não, não enjoava e por vezes ainda lhe juntava cogumelos frescos. Que bom que ficava. De outra gaveta saem latas de sardinha. No final, tudo conspira para uma refeição cheia de sabor e boas lembranças dos tempos de estudante.

IMG_4625.1

Esparguete de Sardinha, comido até ao último fio de massa pelas mais pequenas e para repetir muito em breve. Bom, rápido e descomplicado. Que mais se pode pedir?

Esparguete de Sardinha

Esparguete q.b. e sardinhas sem pele e espinha em azeite qb. Coentros

Cozer o esparguete em água temperada de sal e um pouco de açafrão. Numa frigideira colocar a sardinha com alhos esmagados e um fio de azeite. Saltear um pouco. Juntar o esparguete depois de cozido e escorrido. Envolver tudo e polvilhar com coentros.

Desfrutar de sabores simples é palavra de ordem. Como dirá alguém que conheço “Keep it Simple”.

Boa semana e até breve.

Doce de Cereja… com História

IMG_4599

A avó não ficou para as conversas mas deixou em mim doces lembranças. A época das cerejas é, sem dúvida, uma época em que a minha avó não me sai da lembrança.

Lembro-me, como se fosse hoje, dos frascos de Tofina que reciclava para guardar religiosamente os doces e as geleias. Ah, como eu gostava de comer pão com manteiga e geleia 🙂

Ela não fazia doce de cereja, fazia doce de ginja. Para mim ainda melhor, pois apesar de a olho nu serem frutos muito parecidos a ginja tem um travo mais ácido que tanto gosto nos doces.

Não procurei ginjas, aliás nunca as procurei e nem sei bem porquê. Talvez um dia destes o faça. No entanto, todos os anos faço doce de cereja na tentativa prolongar os cheiros e sabores tão presentes na minha memória. A pouca quantidade de açúcar deixa no ar a doce lembrança da minha avó.

IMG_4610Doce de Cereja

1kg de cerejas; 100gr de açúcar; Sumo de 1/2 limão – cerca de 30ml

Retirar os caroços às cerejas. Bem sei que custa mas existe um óptimo ajudante à venda na Casa. Não me recordo ao certo quanto custou mas foi bastante acessível. Num tacho anti-aderente, costumo usar o wok, colocar as cerejas com o açúcar e o limão. Depois é só deixar cozinhar lentamente e ir mexendo de vez em quando até amolecerem por completo e atingir o ponto estrada – quando se passa a colher de pau pelo doce e se vê o fundo, fazendo uma estrada e que não se una. Digamos que cerca de 45m.

Depois é só depois arrefecer e colocar em frascos de vidro e guardar no frio.

Segundo a minha mãe me ensinou os doces para conservar mais tempo têm que levar mais açúcar, pois este ajuda no processo de conservação. No entanto não gosto de coisas muito doces. A verdade é que estes pequenos momentos feitos de sabores e lembranças me sabem melhor barrados na época delas.

*Para fazer doce compro cerejas nas grandes superfícies pois o kg é mais barato, 1,99€. Digamos que lhes falta o doce das cerejas nacionais, mas essas ficam para comer à mão 😉

Bem bom.

Até breve.

Creme de Coentros

Creme de Coentros

Uma sopa de sabor fresco e leve. Perfeita para fãs de coentros.

Creme de Coentros

Courgete q.b.; cebola; 1 – 2 batatas; ramo de coentros; sal; azeite

Cozer as courgetes, batata e cebola. Temperar de sal. Passar a varinha mágica depois dos legumes bem cozidos. Por fim temperar de azeite e colocar o ramo de coentros. Passar de novo a varinha mágica e triturar tudo. Bem boa…

Até breve. Boa semana e bom feriado.

Coisas de Irmãs – Tosta Doce

IMG_4510.1

Eu e a minha irmã gostamos praticamente das mesmas coisas, roupa e comida 🙂 ,e nem os 12 anos que nos separam fazem muita diferença.

Quando lhe disse que tinha feito esta tosta doce digamos que ela ficou na dúvida.

Eu direi que é muito boa, o doce/amargo do doce de framboesa e o queijo fundido combinam na perfeição. Um lanche perfeito que pode satisfazer a vontade de comer um doce 🙂

Quem sabe podemos partilhar uma tosta doce no fim-de-semana?

Crepe-Omelete para 1

IMG_4484.1

Tenho estado doente e ainda falta algum tempo para me recompor. Após uma pequena cirurgia fiquei a saber que tinha anemia e, logo a seguir, uma bronquite. Uma espécie de 3 em 1. Algo falhou na minha dieta, na minha sucessiva tentativa de não querer ter mais do que 54kg. 

IMG_4485.1

Não é fácil aceitar que não se pode correr durante 1 mês, que não se pode fazer isto e aquilo. Pelo meio, tento testar os limites que se me foram impondo e sei que não os posso de todo ultrapassar, pelo menos por enquanto.
A alimentação ajustou-se à condição de “anémica” e lá vou tentando comer mais alimentos com ferro, isto sem nunca esquecer tudo o que tanto gosto.
A Maria disse-me que a salsa tinha ferro e foi quanto bastou para a usar neste crepe/omelete para 1.

Crepe/omelete
2 ovos; 30ml de leite; 15gr de farinha integral; salsa e queijo q.b.

Bater os ovos com a farinha, leite e salsa. Colocar um fio de azeite numa frigideira e deitar o preparado. Por cima colocar fatias de queijo e assim que não houver mais líquido começar a enrolar como se fosse uma torta.

Servir com salada de agrião que é rica em ferro 🙂

Boa semana e até breve.

O Desafio da Maria

IMG_4157.2.1

Gosto muito do blog da Maria. Adoro a forma como escreve e como me arranca sempre um sorriso com as suas histórias. Há tempos, a Maria propôs o desafio Receita Saudável e achei-o perfeito, sobretudo porque ela irá aos poucos testar as nossas sugestões e dizer de sua justiça o que acha. Original não é?

Desafio aceite e não foi preciso pensar muito. Bastou abrir o frigorífico, ter fome 🙂 , e usar coisas que tanto gosto, couve coração e cogumelos frescos.

Salada Quente de Couve, Cogumelos e Filetes de Atum*

Num wok colocar alhos qb, azeite e louro. Assim que os alhos começarem a estalar juntar os cogumelos frescos, temperar de sal e pimenta, e deixar cozinhar um pouco tendo o cuidado de não os deixar moles. Adicionar a couve coração em juliana e envolver nos cogumelos. Ir mexendo sempre até ficar cozinhada mas al dente. Antes de servir juntar os filetes de atum e misturar muito bem.

*São filetes e nada têm que ver com o atum em posta. São lombos perfeitos, em azeite, e da marca Pingo Doce, a 1.39€

Um bom fim-de-semana e até breve.

Pizza Time

???????????????????????????????

No caminho da escola para casa vai um carro à nossa frente devagar, não mais do que 40km/hora. Nisto, uma das minhas Marias diz “cambada de velhos”. – Respondo-lhe que não pode andar por aí a dizer essas coisas e dou-lhe uma espécie de sermão. A outra Maria, perante a nossa discussão, diz: “Tu não vês que o carro da frente anda devagar porque tem pouca gasolina?”

Começo a sentir que nova fase se adivinha. Novos testes à minha paciência e capacidade de resposta são testados todos os dias. Perguntas embaraçosas e afirmações de pôr os cabelos em pé.

???????????????????????????????Agora a sugestão de mini-pizzas para os dias apressados 🙂 Massa fina e crocante, como se quer numa pizza.

A receita é da bimby e anotei-a quando a demonstradora veio cá a casa. Não posso dizer que não me impressionou a limonada e outras coisas mais em véspera de Natal. No entanto achei que o dinheiro seria melhor aplicado na nossa viagem, e foi 🙂

Receita Base Pizza

200 g água; 50 g azeite; 1 c. chá de sal; 400 g farinha; 0,5 saqueta de fermento seco, cerca de 5 g

Misturar todos os ingredientes com a ajuda dos ganchos da batedeira. Deixar a massa levedar no forno ligado a 50ºC durante 25m.

Terminado o tempo retirar o ar à massa e amassar um pouco dando as formas pretendidas. Picar com um garfo e rechear a gosto. Vai ao forno a 200ºC até o queijo dourar.

Boa semana e até breve.

Mini Tartes de Banana

IMG_4146.1

– Tia tu não és velha pois não?

-Não, ainda sou nova.

-Então podes ter bebés. A minha mãe é velha.

E andamos nisto. Conversas sobre sementes, como vão parar à barriga, e pessoas velhas não podem ter bebés.

IMG_4144.1Estas perguntas são apenas o início de muitas que virão e eu não sei se terei sempre a capacidade de responder à altura. Até lá vou-me deliciando com o crescer das minhas meninas e tentar não me rir quando o assunto é sério 🙂

E agora as mini tarte de banana… muito fáceis de fazer e de comer.

Mini Tartes de Banana

Precisamos de 1 receita de leite creme. Massa já pronta para fazer as tartes, bananas às rodelas, chantily e canela em pó q.b.

Fazer o leite-creme.

1Lt de leite, 5 gemas de ovos XL (ou 6 se forem M/L), 70gr de açúcar, 100gr de Maizena, gotas de essência de caramelo

Colocar o leite ao fogo e deixar ficar bem quente mas sem ferver. Aconselho a usar um fervedor ao invés de uma panela.

Numa taça colocar as gemas, a essência, o açúcar e a Maizena. Com uma vara de arames misturar bem até obter um creme bem claro e sem grumos. Por fim, sem receio e de vara de arames na mão, adicionar uma concha de leite quente à mistura dos ovos tendo o cuidado de no mesmo momento começar a mexer com a vara de arames evitando assim que os ovos cozam. Terminar de adicionar o restante leite mexendo sempre. Volta ao lume a engrossar nunca parando de mexer.

Por fim, deve colocar numa taça a arrefecer tendo o cuidado de tapar com película aderente para não ganhar aquela capa mais dura.

Ligar o forno a 180ºC e forrar pequenas formas com a massa. Compro uma já pronta, da BuitoniPicar o fundo com um grafo e vai ao forno cerca de 15m até estarem douradas.

Colocar uma camada fina de leite-creme, já frio, nas tartes. De seguida uma camada de banana e terminar com mais leite creme. Fazer uma espiral de chantily e polvilhar com canela em pó q.b.

Fechar os olhos e saborear cada pedaço já a pensar na próxima tarte 🙂

Até breve.