Uma Espécie de Pizza num Dia de Reecontros

Pelas mais variadas razões fui deixando para trás as pessoas, amigos, se é que os posso chamar assim, que ia conhecendo pelas terras onde vivi. Nunca tive muito tempo para criar laços, e, as amizades precisam efectivamente de ser regadas. É complicado andar de escola em escola. Chegar, integrar, conhecer e dar-se a conhecer. O acolhimento nem sempre era fácil e passado um tempo optei pelo mais fácil. Não me prender demasiado pois sabia que mais cedo ou mais tarde ia por esses caminhos de Portugal fora. E, não. Não sou de etnia cigana mas quase que o podia ser devido a algumas semelhanças. Não tenho amigos desde sempre, amizades de 20 anos de existência. No entanto, num determinado momento da minha vida soube que havia ganho alguns para sempre e isso foi o mais importante. A universidade foi um ponto de viragem na minha vida e vivi intensamente tudo a que tinha direito. Pelo meio conheci pessoas que partilhavam um mesmo objectivo final. Existe algo inexplicável nas relações de se criam neste mundo. Umas ficam para sempre, outras tornam-se insignificantes e ainda há aquelas que acabam por se cruzar connosco por algum motivo. Hoje foi dia de rever as amigas do para sempre. Foi dia de conhecer mais uma menina que nasceu. E foi bom. É-o sempre, e, o tempo corre depressa demais para tanto que se quer dizer. E sabemos que tudo mudou. Que o tempo das agora mães é medido de outra forma. E, ainda assim, descobrir por acaso, que, vamos todas ao mesmo concerto. A vida encarregou-se  de nos proporcionar um momento que se adivinha delicioso. E eu, só de pensar nesse dia sorrio.

Depois de uma tarde de brincadeira e algumas birras há fome e um simples pedido. Depois do banho olho as horas… 10 da noite. E, faço pizza. Daquelas rápidas sem tempo de levedação. E, estava boa. Modéstia à parte, esta receita sai sempre bem. Sabe sempre bem. Tal como estes momentos em que parece que o tempo nada mudou. Afinal, a amizade está lá.

Ingredientes: 1,5 cup de farinha T55; 50ml de vaqueiro líquida; 1 colher de sobremesa de café de fermento Royal – dos bolos; 1 ovo; 60ml de água

*Copo medidor de 250ml

Colocar numa taça e amassar tudo até obter uma massa que não se cole às mãos. Se necessário adicionar um pouco mais de farinha.

Colocar uma frigideira anti-aderente no fogão em lume baixo e tenha à mão uma tampa com o mesmo diâmetro da frigideira.

Esticar com o rolo, abrir um disco bem fino e picar o fundo com um garfo, e, com a tampa marcar o tamanho do disco da pizza. Fica perfeito, bem redondinho.

Aumentar o lume para médio e colocar o disco de massa. Tapar e deixar cozinhar cerca de 3m de 1 lado.

Quando voltar o disco aproveite rechear com o que mais lhe aprouver e tape de novo durante cerca de 3m para cozinhar do outro lado e dar uma cor no recheio.

Anúncios

9 thoughts on “Uma Espécie de Pizza num Dia de Reecontros

  1. Estava eu aqui a comer directamente do meu tuperware, quando recebo confortavelmente no meu email o alerta de novidades tuas. Percebo as tuas palavras, e o porquê te de fechares para as amizades. Eu tornei-me um pouco assim agora, às vezes parece que não confio em ninguém. Tenho amizades longas que prevaleceram ao longo dos anos. Consigo conviver com algumas, mesmo com aquelas que não têm filhos, pois percebem e adaptam-se a mim da melhor forma. Da minha parte terão sempre um prato a mais na mesa para elas e feito sempre com satisfação, outras nem por isso. Sabem lá o que é ter horas e tarefas diárias que não podemos descurar para bem dos nossos “piolhos”. As coisas são como são, e não há como insistir em manter ou regar essas amizades, quando elas não compreendem porque não são mães. Olha se morasses por perto a tua amizade não me escapava e era um trocar de receitas e de experiências da maternidades e não só. Aproveita esse reencontro, pois não há nada melhor que estarmos em sintonia com alguém em determinados momentos da vida. Bjs do coração e com a boca cheia de arroz de feijão e filetes panados me despeço.

    • É bom saber que alguém nos compreende. Os reencontros acontecem mensalmente, mas bonito, bonito, foi em conversa descobrir que íamos estar no mesmo concerto, sem nada combinarmos. E, por isso convidei as minhas irmãs e comprei os bilhetes há 3 meses. E, agora, a 1 mês do concerto, e em conversa em dia de reencontro percebemos que todas íamos.. e bem perto de ti… muito em breve 🙂 e no mesmo sítio onde nos conhecemos. É fácil não é? Acho que já sabes quem vou ver. Beijinhos

    • Bom dia Guida. Pois aqui as meninas também pedem muitas vezes pizza 🙂 mas nem sempre lhes faço a vontade. Ando para testar um versão com farinha integral para ver se não pesa tanto 🙂
      Esta de frigideira é fantástica porque é muito rápida e fica muito boa, em minha opinião claro está.
      Beijinho e o “Nome da Rosa” já dorme cá em casa.

  2. Sempre fui um pouco introvertida e muito seletiva quanto às amizades. Até ao 12º ano contavam-se pelos dedos da mão (de uma só) as minhas amigas. Éramos 3, às vezes 4, e outras 5. Curiosamente uma delas seguiu comigo para a universidade, tirámos o mesmo curso e acabámos casadas com dois moços do nosso curso que também eram os melhores amigos. Tal como tu, posso dizer que na universidade houve uma ampliação de convivências e de amizades. Umas permanecem até hoje. Outras cultivam-se à distância. Outras ainda residem bem perto de mim e é como se não existissem porque limitam-se a encontros pontuais de circunstância. Para além destas, existem ainda os laços que criem com os e as colegas pelas escolas por onde fui passando, muitos deles persistem até hoje, ganhando alguns dimensão em termos de importância que eu nunca suporia. Curiosa, a nossa vida. Felizmente com o tempo deixei de ser introvertida e vejo-me agora a falar pelos cotovelos. Coisas da idade.
    Gostei do conceito de rapidez da tua pizza.
    Beijinhos.
    Fiquei curiosa que concerto seria esse.

    • Pelo que escreves somos bastante parecidas, e, também eu, quanto mais crescia mais selectiva me tornava. Com o tempo também passei a falar pelos cotovelos, e a escrever 🙂 . E com os colegas de universidade passasse algo semelhante. Tenho uma colega de curso a viver na minha cidade e é como se nem existisse. Quanto ao concerto digamos que é fácil. Ainda que de erudito nada tenha aposto que irei perder muitas calorias. 5 de Out Pav Atlântico. Temos em comum gémeos e eu a vontade de chegar aos 43 anos com um corpo daqueles 🙂
      Beijinho e boa semana.

  3. Olá Liliana… 🙂

    Uma pizza na frigideira…
    Fizeste-me arquear a sobrancelha e puseste-me uma pulguita atrás da orelha…
    Parece-me bem, parce-me fácil e rápido….
    Acho que a filhota não vai deixar passar sem eu ter de a experimentar ! :-))

    Adorei a idéia e achei que a tua fatia está a provocar-me escandalosamente de tão vbom aspecto que tem ! :-))

    Beijinho bem grande

    Isabel

    Nota: Já respondi ao teu comentário sobre o culinarices, ora espreita: http://blogdochocolate.com/receitas-bimby/gelado-de-chocolate-branco-com-frutos-silvestres/#comments

Sempre que Apetecer, Sem Compromissos. Até já.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s