Em Dia PAV… Decadente… Chocolate

 Há tempos atrás, alguém que considero uma amiga, a D., disse que a serenidade chegava com a idade. Esta frase, tão simples e tão sábia, marcou-me, e, é frequente lembrar-me dela. Nunca gostei de festejar o meu aniversário por várias razões, mas, nenhuma delas se prendia com o facto da celebração em si. Ano após ano era invadida por uma angústia tremenda que me deixava deprimida alguns dias antes do meu aniversário. Este ano foi diferente. Senti o dia chegar sem quase dar por ele. Aceitei a sua vinda sem qualquer mágoa ou angústia. Aceitei mais um ano que passou fazendo antes uma retrospectiva positiva da minha última década, pois todos os anos pensava nas mágoas que guardava e isso fazia-me mal, muito mal. Resolvidas algumas questões por dentro, outras por fora e depois de alguns assuntos arrumados, abracei o meu dia como só podia ser, com a serenidade que vai chegando até mim, e, com um bolo de chocolate. Não houve velas, mas, se as houvesse seriam 33. A primeira fatia foi comida a 3, muito antes de mais alguém. Quem disse que temos sempre de seguir regras, protocolos e afins?

Direi que a culpa é da Patrícia, pois, desde que vi o seu bolo peteleco que sabia ser ele o eleito. O bolo é tão simples de fazer que me deixou meio atónita. Agora, tenho que confessar que fiz 1 troca e que cortei metade do açúcar. Não lhe darei muitos adjectivos. Espero que as fotos falem por si, já que o da Patrícia falou comigo também.

Bolo Peteleco – usei como medida um cup medidor de 250ml

3 cups de farinha Branca de Neve; 1 cups de açúcar; 1 cup de Nesquik; pitada de sal fino e bicarbonato de sódio; canela em pó; 3 ovos; 1 cup de óleo de milho; 2 cups de água quente

Numa taça grande misturar todos os ingredientes secos e abrir uma cavidade no centro. Numa outra taça bater os ovos com o óleo. Sem parar de bater, e, em velocidade lenta para não queimar, adicionar a água lentamente até estar bem misturada. Adicionar a mistura dos ovos+água+óleo aos ingredientes secos e bater em velocidade baixa com a batedeira até estar tudo bem incorporado. Irá obter uma massa tipo mousse de chocolate mas mais densa. Untar e polvilhar com farinha uma forma de buraco, usei de 22cm mas maior será melhor, e, levar ao forno pré-aquecido a 200ºC cerca de 45m. Convém ir vigiando a cozedura fazendo o teste do palito. Assim que sair seco retirar do forno. Deixar arrefecer cerca de 5m na forma e depois desenforme com cuidado para não partir.

Enquanto o bolo arrefece fazer uma cobertura com 100gr de chocolate+200ml de natas. Levar uma caçarola com as natas e o chocolate em fogo baixo e deixar que o chocolate derreta. Assim que a mistura começar a borbulhar está pronta. Depois de desenformar o bolo regar com a cobertura. Polvilhei com côco ralado para dar um ar mais festivo. Assim que o bolo esteja morno guarde no frigorífico. No dia seguinte está ainda melhor. A cobertura já solidificou criando uma capa densa e macia que se desfaz na boca e da qual amanhã partilharei as fotos. No dia em que é feito o bolo está muito macio mas no seguinte ganha a densidade e consistência que tanto aprecio em bolos de chocolate. Faz lembrar umas pirâmides de chocolate que levam cereja no topo, sabem do que falo? Seja qual for o dia escolhido para comer uma fatia vai sempre ser uma excelente escolha.

Ah! O que é o Dia PAV? Fácil, é o Dia Parabéns a Você.

 

Conta-me Como Foi… Junho

O mês de Junho marca o início do Verão, se bem que este ano chegou meio tímido e eu chego atrasada no meu Conta-me Como Foi. Fazer estes posts tem sido divertido, e, bastante introspectivo, pois permite-me sempre fazer uma retrospectiva sobre o que fiz, como e porque. Temos tido um Verão Primaveril com contornos Outonais que convida a passeios ao ar livre, e,  por entre pedaços rasgados de mar ou por florestas mágicas adentro, o tempo tem sido perfeito para momentos em família. Ainda assim, a Natureza brinda-nos com cores próprias da estação e as saladas não têm faltado na minha mesa. Os batidos entraram em força na minha alimentação, e, mesmo não gostando de bananas, o batido de banana é o meu preferido. Repensei toda a minha alimentação, e, mudei para melhor e novos ingredientes passaram a a fazer parte desta nova forma de estar e comer, e, tem-se revelado uma supresa muito saborosa e saudável.  Os banhos foram tímidos e marcados por águas frias. Quebrei a barreira dos 60kg e tenho-me mantido longe dela. Há dias alguém escreveu: ” Hoje em dia não me permito a ultrapassar mais de 3kg de excesso, este é o meu limite.”

Agora vou-me ausentar mais um bocadinho que tenho um bolo de chocolate para fazer. Há um aniversário cá em casa e alguém vai pecar. Desculpem a minha ausência nas vossas cozinhas, mas só falta mais um bocadinho. Obrigado por continuarem desse lado.

Do Vaso para o Prato

O tempo conspira a meu favor. Perdoem-me os que estão de férias mas eu gosto mais assim, ameno, brisa fresca, e, uns 25º perfeitos. Os dias quentes andam inconstantes, uns dias andamos por aí a soprar, e, outros a pensar que mais parece estarmos no início de aulas. Eu, continuo constante, motivada na medida certa e com o meu objectivo definido. Os resultados aparecem e não pensem que só como alface e ovos, nada disso. Como de tudo um pouco, e, tive que aprender às minhas custas isso mesmo. Existe um equilíbrio, e, não é preciso passar a vida como um grilo nem amargurada porque se fecha a boca a um doce. Como dizia a S. não vou morrer por comer 1 bola de berlim. Pois não. E, por isso mesmo, na 4ª feira comi e soube muito bem, sem culpas.  Dietas restritivas penso que sejam opção para outro tipo de situações mais graves, isto porque 10kg a mais é uma questão que se resolve, 1º por dentro e depois por fora, no meu caso, claro está. E, já sabem, a palavra de ordem é não desistir.

Nesta época, de petiscos por excelência, devemos tirar partido do que a natureza no dá, cor e sabor. Há boa disposição no ar e sorrisos rasgados. Há mais brilho nos olhares. Há dias longos que cheiram a flores e a mar. E, há a vontade de partilhar a simplicidade de uma refeição, fresca, e, cheia de sabor. Assim, simples, como vir do vaso até ao prato. E, do vaso chegam os tomates cherry cá da casa. Que orgulho dos meus meninos.

Continuamos em stand by. Voltarei em breve. Um até já saudoso e obrigado pela vossa companhia.

Bolo de Chocolate e Canela

Quando vejo um bolo de chocolate, por mais simples que seja, de imediato me idealizo a comê-lo e só depois a fazê-lo. Isto porque coloco sempre muitas expectativas em algo cuja palavra me faz salivar quase de imediato, Chocolate. No entanto, quando vi este bolo tão simples no blog das storas na cozinha quis arriscar. Bolo simples, de travo a chocolate, e, ao qual adicionei canela. Uma combinação de sabores que aconselho sempre. O açúcar, esse, foi cortado em mais de metade e não lhe achei falta. Uma boa companhia para o chá, e, quanto mais tempo passava melhor ele sabia…

Dissolver o chocolate e a canela na água quente e deixar arrefecer. Numa taça misturar muito bem o açúcar e a farinha. Abrir uma cavidade no centro e colocar as gemas, a mistura de chocolate com água, o óleo, o sal e o fermento. Misturar muito bem, e, depois, bater muito bem com a baterdeira, 8 a 10 minutos. À parte bater as claras em castelo bem firme, adicionando-lhes quase no fim uma colher de açúcar. Adicionar à massa anterior, mexendo de baixo para cima, devagar, com uma colher de pau. Untar uma forma de buraco de 22cm. Deitar o preparado na forma e levar a cozer em forno moderado, 175ºC, cerca de uma hora.
 
E, depois deste bolinho tão simples vou-me até ali inspirar-me no da Patrícia para o proximo aniversário cá de casa.
Obrigado pela vossa visita. Volto em breve.

Brócolos em Molho de Iogurte e Ervas

Uma mistura deliciosa inspirada no livro do Jamie Oliver, Cozinhar com Jamie Oliver, pág. 338. Simples, muito simples. Cozer o brócolos em água fervente e sal. Numa taça misturar um iogurte natural com sumo de limão e ervas a gosto. Envolver tudo muito bem e reservar. Depois de cozidos os brócolos, escorrer e temperar com 1 fio de azeite. Colocar colheradas do molho de iogurte e polvilhar com sementes de sésamo. Garanto que não se vão arrepender. Uma forma deliciosa de comer brócolos e uma boa companhia para grelhados.

P.S. Os dias têm-se repartido entre muitos banhos e todo o ritual inerente que se segue ao chegar a casa. Por isso, ando um pouco mais ausente do meu e dos vossos cantinhos. Obrigado pela vossa sempre tão simpática companhia. VOLTO JÁ.

Cogumelos, Companhia Perfeita

Os cogumelos têm um elevado valor nutritivo  e têm 3 vezes mais nutrientes do que alguns frutos e vegetais. São bons fornecedores de proteínas de elevado valor biológico, por exemplo, 100g de cogumelos comestíveis frescos corresponde a 5,2g de proteínas. 90 por cento da sua constituição é água, têm poucas calorias (28Kcal em média para cada 100g) e quase nenhuma gordura. Têm uma elevada concentração de fibras, que potenciam o controlo de peso, a prevenção das doenças cardiovasculares e o funcionamento do intestino. É, portanto, além de muitas coisas, amigo de um regime alimentar saudável.  Informação retirada do site Nos Mulheres.

Em pequena comia os que a minha avó trazia. Só ela sabia quais se podiam apanhar. Ela, chamava-lhes “sanchas”, e, outras vezes, “níscaros”. Eu andava demasiado ocupada a descobrir e a explorar o mundo para perguntar sobre as diferenças de cada um dos termos. Isso, também, pouco ou nada me importava, afinal ela fazia as melhores sanchas guisadas do mundo e isso era quanto me bastava.

E, quando as avós vão cedo demais tudo fica por ali. Ficam os cheiros e os sabores como leves brisas que de vez em quando ecoam nas nossas memórias. E, eu, nunca mais comi sanchas. Um dia, descobri os cogumelos frescos, muito depois das latas é certo, e gosto muito de os fazer salteados. Servem de acompanhamento para uma massa, um arroz e até mesmo uma salada. É só deixar a vontade fluir.

Costumo usar sempre o mesmo método, simples e cheio de sabor.

Lavar os cogumelos com água corrente, sem os colocar demolho. Retirar os talos e com uma folha de papel secá-los. Colocar numa frigideira um fio de azeite e alhos esmagados. Cortar os cogumelos em quartos e quando o alho estalar juntar os cogumelos agitando a frigideira de vez em quando. Temperar com pitada de sal e pimenta moída na hora. Não deixar cozinhar demais ou ficam moles. Neste fase pode-se adicionar uma massa a gosto e envolver ou servir com uma salada. São muitas as opções, não deixem é de os comer.

Reeducar-ME

Não tenho passado fome, e, sempre que assim o entendo, e, usando a regra do bom senso, como mousse de chocolate ou uma fatia de pizza sem qualquer sentimento de culpa. Podia evocar inúmeros motivos para a minha engorda, mas, o único motivo sou eu. Não vale culpar mais ninguém quando sabemos qual o foco do problema. Há antes que resolvê-lo, se tivermos vontade é claro. Dando 1 passo de cada vez, desde que tomei a decisão de mudar este aspecto da minha vida, o peso, há pouco mais de 2meses, já perdi 8kg, com os meus conhecimentos, a minha força de vontade, e, 2 crianças para cuidar 14h a 16h por dia. Impossível? Não, é POSSÍVEL e por isso partilho um pouco da minha experiência na esperança que a mensagem passe para esse lado e possa ser uma motivação positiva.

Levar as crianças a passear em centros comerciais pode parecer in mas cansam-se depressa de algo que não tem interesse para elas. Ao invés disso, uma bicicleta, quando já têm idade, 3 anos pareceu-me bem, e, muito incentivo formam uma dupla perfeita. As crianças precisam de gastar energias e por norma adoram andar de bicicleta. Escolher um sítio adequado para elas andarem e traçar um plano alimentar, saudável e cuidado, exercícios, e, um objectivo. O processo é mais lento que um ginásio é certo, afinal não se está concentrada apenas na velocidade de uma elíptica ou no número de séries que se fazem nas máquinas de pesos. O maior e melhor incentivo dos nossos objectivos devemos ser nós próprios, só assim as coisas funcionam. É o fazer para mim e por mim que marcam a diferença. Aprender a olhar ao espelho e a valorizar-mo-nos independentemente do peso é a regra nº1.

Ser mãe a tempo inteiro é bom, é mau, é assim assim e há dias que me apetece desaparecer. É muito fácil haver deslizes, e, é muito fácil cair na tentação de nos anularmos como mulher. Para mim, é ponto assente, que, eu anular-me Não. Faço tudo o que puder pelas minhas filhas, mas, só pensando um pouco em mim consigo dar o meu melhor e estar a 100% para elas. Se pode soar a egoísmo? Pois pode. Mas desde sempre quis que elas percebessem que se um dia cedo eu outro dia cedem elas. Por isso, e, apesar de gostarem de andar de bicicleta é óbvio que preferem ir a banhos com este calor, mesmo que ele nem sempre apareça. Entramos em negociações. Banhos pela manhã e bicicleta ao final do dia, leia-se eu fazer o meu exercício, que, me alivia sobretudo a mente. E, quando a negociação falha entra em acção o chamado reforço positivo, “se forem com a mãe tomam banho sozinhas”. Um obejctivo que alcançamos no mês passado e do qual elas já não abdicam, a sua independência para tomarem banho sozinhas, à vez, e sob a minha supervisão. Chamem-lhe o que quiserem mas estou convicta que, a elas, como futuras mulheres, é um bom exemplo que lhes dou.

1 passo de cada vez, e, pela manhã, aveia com fruta fresca é o melhor passo para começar bem o dia. E não, não passo fome. O segredo, que não é segredo, é mesmo comer várias vezes ao dia. Generosas porções de verduras e sempre um pouco de proteína animal, dando prefrência ao peixe. Comer menos daquilo que antes se comia mais e entre refeições fruta ou amêndoas. Água e chá verde são essenciais, para manter o corpo hidratado. Sempre que possível caminhar, correr atrás das nuvens, do ventos, dos filhos, mas sobretudo correr atrás dos nossos obejctivos, não desistir é a palavra de ordem.

No fundo todas/os sabemos bem como fazer as coisas da forma correcta, mas pelas mais variadas razões nem sempre as fazemos. Cabe a cada um de nós saber quais os seus limites e objectivos.

Eu, quis e quero fazer as coisas bem porque:

  1. Quero olhar ao espelho e gostar do que vejo, e, este é mesmo o motivo número 1. Se eu não gostar de mim…
  2. Quero ser um bom exemplo para as minhas filhas. Quero que cheguem à adolescência e não fujam de mim na rua, ou, porque sou um atentado à moda ou porque estou fora de forma. Quem nunca sentiu vergonha dos pais em algum momento da sua adolescência que levante o dedo, eu, só quero minimizar o risco.
  3. Quero viver mais e melhor por elas e para elas, e, um dia mais tarde, para os meus netos. (parece a conversa de quem já tem 50 anos  🙂 )

Se alguém quiser saber mais algumas informações ou apenas trocar impressões sobre o tema podem enviar-me um e-mail para o saborezcomhistoria@gmail.com que responderei com todo o gosto. Este post dava pano para mangas, por isso, irei abordando o tema ao longo do tempo.

Obrigado a todos/as que por aqui passam e até já.

Brócolos No Tempo Certo

Apesar de gostar bastante de brócolos sempre tive dificuldade em perceber o tempo correcto. No entanto, nas minhas investidas, de tentativa-erro,  consegui chegar a bom porto. Para que os brócolos mantenham a sua cor verde viçosa apenas os coloco na panela quando a água levanta fervura, tempero com pitada de sal e marco 5m. Tempo perfeito. Ainda assim sigo algumas regras que estipulei para mim:

  1. não costumo comprar aqueles brócolos gigantes embalados; prefiro antes ir ao mercado e escolhê-los mais pequenos e com talos finos;
  2. os primeiros brócolos que aparecem em Março-Abril nas bancas são mais pequenos, e, mais tenros, pelo que, 3m exactos são o suficiente para estarem prontos;
  3. assim que termina o tempo de cozedura retiro-os de imediato da panela, caso contrário vão escurecer e ficar moles;
  4. quando assim o entendo dou um pequeno corte nos talos;
  5. por último, e apesar de haver tempos e medidas exactas, há sempre a regra do bom senso, que não deve ser descartada.

Abacaxi e Banana

Ainda que sinta uma pequena ansiedade pelos dias quentes e soalheiros do Verão, na verdade, estou a gostar destes dias amenos. A água do mar está fria e os ventos que sopram de Norte e Noroeste não convidam a banhos. Continuam a convidar a passeios ao ar livre, a exercícios, a boa disposição e a batidos matinais.

A sugestão de hoje tem tudo para ser diurética, mas como também preciso de energia não podia faltar a banana. Quem diria… eu a comprar a bananas para comer… aliás, beber.

Boa semana.

Crumble de Tomate com Ovos

A revista Continente Magazine deste mês, pág. 34, trazia uma sugestão que me prendeu de imediato a atenção, Crumble de Tomate Confitado com Queijo.

De imediato sabia que iria tê-lo na minha mesa mas com muito menos tempo de preparação, pois 2h de forno ligado para os tomates confitarem não me entusiasmou.

Fiz um refogado de cebola e alhos ao qual juntei os tomates, e, deixei cozinhar até estarem macios. Coloquei numa assadeira, bati uns ovos, olha que novidade, eu a comer ovos, e coloquei por cima dos tomates. Piquei coentros e polvilhei. Torrei pão que parti em pedaços e coloquei na picadora. Adiconei umas rodelas de azeitonas e levei ao forno até os ovos cozinharem.

Que sou viciada em ovos já deve ter sido notado. Que gosto de tomate com ovo também, agora este crumble de tomate com ovo é divinal. O crumble de pão torrado com o molho do tomate…. hummmm. Merecedor de lugar de destaque a qualquer mesa. E, é um forte candidato às mais variadas combinações. 

Bom fim-de-semana a todos/as quantos me visitam

Gomes de Sá Rápido

Já não me lembro a que sabe um verdadeiro Bacalhau à Gomes de Sá. Talvez saiba a bacalhau. Pesquisei para ver se havia algum segredo escondido. Todas as receitas falavam em deixar as lascas de bacalhau, depois de cozidas, demolho em leite entre 1,5h a 3h. Peço desculpa Sr. Gomes mas as minhas clientes não gostam de esperar, sabe como é, crianças. Dúvido que algum dia afogue o bacalhau em leite durante o tempo que li. No entanto,  se um dia mudar de opinião depois falo consigo. Por agora deixe-me que lhe diga, e não desfazendo das suas habilidades culinárias, que, este bacalhau, quase igual à sua moda, estava delicioso e em cerca de 25m estava na mesa.

Cozer as batatas às rodelas com pitada de sal e louro e colocar numa panela com água quente. Noutra panela colocar as postas de bacalhau com água fria e deixar cozer cerca de 10m. Colocar ovos a cozer. Numa frigideira anti-aderente colocar cebola às rodelas e alhos esmagados e deixar refogar um pouco até a cebola estar translúcida. Desfiar o bacalhau e saltear com as cebolas, 2-3m, temperando de pimenta moída na hora, e, sal se necessário. Adicionar as batatas e os ovos cozidos. Envolver com cuidado para as batatas não partirem. Se necessário regar com um fio de azeite. Polvilhar com coentros frescos picados antes de servir e azeitonas.

Como sempre, usei as Supremas de Bacalhau, que estão novamente com desconto em cartão, que, ao serem de bacalhau fresco, têm a textura perfeita, macia como se quer.

Gomes de Sá Rápido

Já não me lembro a que sabe um verdadeiro Bacalhau à Gomes de Sá. Talvez saiba a bacalhau. Pesquisei para ver se havia algum segredo escondido. Todas as receitas falavam em deixar as lascas de bacalhau, depois de cozidas, demolho em leite entre 1,5h a 3h. Peço desculpa Sr. Gomes mas as minhas clientes não gostam de esperar, sabe como é, crianças. Dúvido que algum dia afogue o bacalhau em leite durante o tempo que li. No entanto,  se um dia mudar de opinião depois falo consigo. Por agora deixe-me que lhe diga, e não desfazendo das suas habilidades culinárias, que, este bacalhau, quase igual à sua moda, estava delicioso e em cerca de 25m estava na mesa.

Cozer as batatas às rodelas com pitada de sal e louro e colocar numa panela com água quente. Noutra panela colocar as postas de bacalhau com água fria e deixar cozer cerca de 10m. Colocar ovos a cozer. Numa frigideira anti-aderente colocar cebola às rodelas e alhos esmagados e deixar refogar um pouco até a cebola estar translúcida. Desfiar o bacalhau e saltear com as cebolas, 2-3m, temperando de pimenta moída na hora, e, sal se necessário. Adicionar as batatas e os ovos cozidos. Envolver com cuidado para as batatas não partirem. Se necessário regar com um fio de azeite. Polvilhar com coentros frescos picados antes de servir e azeitonas.

Como sempre, usei as Supremas de Bacalhau, que estão novamente com desconto em cartão, que, ao serem de bacalhau fresco, têm a textura perfeita, macia como se quer.

Os Ses… de Ce-rejas

SE eu soubesse que era tão fácil. Se eu soubesse que era tão bom. SE eu… tivesse nascido ensinada ia passar a vida inteira numa pasmaceira. É no aprender que está toda a essência do saber. É o tentar, o errar, e, o aprender que se conjugam de tal forma que os SES deixam de ter sentido. Nunca gostei deles. A condição da palavra lembra-me as aulas de estatística e matemática, as quais aprendi a gostar. Mas… SE não houvessem estes SES e fosse preto no branco era muito melhor, ou será que não?

Uma coisa eu sei, SE eu soubesse que fazer doce de cereja era tão simples há muito que o tinha feito. Até cortar as cerejas, uma a uma, para tirar os caroços foi uma tarefa divertida.

Para 300gr de cerejas descaroçadas usei cerca de 60gr de açúcar amarelo e sumo de meio limão. Envolvi e deixei cozinhar em fogo baixo cerca de 30m. Guardei num frasco bem fechado e de cabeça para baixo para ganhar vácuo. Depois de frio passou para o frigorífico. Sei que pode parecer pouco açúcar mas sendo a fruta doce por natureza o açúcar deve ser pouco. O açúcar em grandes quantidades serve para prolongar o prazo de consumo dos doces. No entanto prefiro fazer poucas quantidades e consumir no prazo de 1 ou 2 meses aproveitando o melhor da fruta da época., o seu sabor.

P.S. Não digam a ninguém mas ouvi dizer que no Continente estavam a 1,99€/kg. Perfeito para fazer uns frascos de doce. Eu tenho comprado a 3,50 e a 3,00€ no mercado.

A próxima experiência virá mais tarde e já estou ansiosa por meter a colher 🙂

OS MEUS  E OS VOSSOS TEXTOS E RECEITAS

o meu painel de informação do blog dizia-me que tinha um novo seguidor. Como sempre, fui espreitar o blog. Um blog recente, sem fotos, apenas receitas. Percorri o blog todo e nem um único comentário, talvez me tenha escapado. Percorri o blog todo e encontro os meus textos, os vossos textos e algumas receitas de sites copiados à letra, até à útima vírgula, sem, no entanto haver qualquer referência à proveniência dos textos.

Como sempre, não gosto de substimar a inteligência das pessoas e por isso mesmo deixei um comentário educado ao qual aguardo resposta.

Falo do Recipe Trunk e vou divulgar o nome porque assim o entendo. AQUI podem ler o meu comentário que aguarda moderação.

Boa semana a todos/as os que me acompanham.