Chocolate Chips Brioches

A noite já estava da cor das minhas pepitas de chocolate, ou chocolate chips se preferirem, quando após meia dúzia de pesquisas encontrei aquela que me pareceu a massa perfeita. Pareceu e foi. Mudei-lhe a forma para poderem ser mais facilmente devorados por quem de direito. Apesar da foto não ser a melhor dada as horas da noite, e depois de já ter comido não 1 mas 2, aqui fica a certeza de que não se irão desiludir. De calóricos pouco têm, pouco açúcar, pouca gordura e como se isso não bastasse acho que as pepitas foram poucas. Melhor assim.

Ingredientes: Rende 12 bolinhas
250gr de farinha T65
6gr de fermento seco
75ml de água morna
20gr de açúcar
15ml de óleo de milho
2 ovos
1 colher de sobremesa de essência de baunilha
 
  • Numa tacinha colocar a água morna, o açúcar e o fermento. Deixar repousar 10m. Ao fim deste tempo irá obter um líquido pastoso e cheio de borbulhas. São os organismos vivos do fermento a trabalhar.
  • Numa taça grande colocar a farinha e abrir uma cova no meio. Colocar a mistura do fermento, os ovos ligeiramente batidos com a essência de baunilha e o óleo de milho.
  • Com a ajuda da batedeira, e com os ganchos colocados, misturar bem todos os ingredientes até obter uma massa que se descole das laterais. Se necessário polvilhar com um pouco de farinha.
  • Transferir a massa para a bancada enfarinhada e sovar até obter uma massa elástica e que não se cole aos dedos. Se necessário juntar mais um pouco de farinha.
  • Moldar uma bola e pincelar com um pouco de manteiga e colocar de novo na taça para levedar. Ligar o forno a 50ºC e colocar lá dentro até duplicar de volume. Cerca de 40m. Ver foto abaixo.
  • Terminado este tempo pesar a massa em dividir em proporções iguais. As mim rendeu 12 bolinhas de peso entre os 40 e os 45gr. Espalmar cada bolinha e colocar as pepitas. Dobrar as beiras para dentro e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal com a costura para baixo.
  • Vai de novo ao forno ligado a 50ºC levedar cerca de 15-20m. Retirar o tabuleiro e aumentar a temperatura para os 175ºC. Enquanto isso pincelar as bolinhas com 1 ovo batido com um pouco de leite. Colocar no fundo do forno uma tacinha com água bem quente para que as bolinhas não fiquem secas e deixar cozer até estarem dourados.
  • Retirar e deixar arrefecer numa rede.

Bolo de Chocolate, Banana e Maçã

Nada melhor para celebrar a época Estival que a mistura de sabores a quente e frio, chocolate e fruta. Nem o calor me demoveu de o fazer, e, ainda bem. A gula era mais que muita, o cheiro que andava pela cozinha fazia querer ainda mais, e quis, e, comi ainda morno duas belas fatias com gelado de baunilha. Afinal, a vida é feita de contrastes e de opostos.

Ingredientes:
4 ovos
1 banana
1 maçã ralada
1 iogurte de tuti-fruti
120gr de açúcar
200gr de farinha com fermento
30gr de cacau em pó magro
60ml de óleo de milho
 
  • Ligar o forno a 180ºC
  • Bater os ovos com o açúcar até estar bem fofos e volumosos.
  • Passar a varinha mágica no iogurte com a banana até ficar papa e juntar aos ovos. Juntar agora o óleo e mexer bem com uma vara de arames.
  • Adicionar a farinha e o cacau e mexer tudo com a vara de arames. 
  • Ralar a maçã e juntar de imediato à massa do bolo.
  • Untar uma forma de alumínio ou usar outra a gosto e levar ao forno a cozer cerca de 30m. Fazer o teste do palito no centro do bolo.
  • Deixar arrefecer numa rede. Acompanhar com gelado de baunilha que fica delicioso. Um bolo bem fofo e húmido.

Iogurte de Banana-Maçã e Linhaça

O Verão chegou e o calor já se espalhou por este pedaço de terra à beira-mar plantado. As cortinas esvoaçam com a brisa. Lá fora o sol queima… oiço as cigarras… ainda é cedo para ir a banhos… apetece-me algo fresco. Decido ir ter contigo, gosto de te ver, costumas ter sempre algo que me satisfaz. Gosto de ir ter contigo quando estou triste, quando tenho fome, quando não tenho nada, quando não sei nada, gosto de ti porque sim. Mas gosto ainda mais de ir ter contigo quando sei que fiz iogurtes novos e estou desejosa de os saborear.

Uma combinação perfeita com frutas básicas com o toque das sementes de linhaça. O sabor da banana e da maçã ficaram perfeitos e ficaram uns iogurtes muito cremosos e consistentes no ponto certo.

Ingredientes:
1L de leite gordo
1 iogurte natural
1 banana da Madeira
1 maçã
6 colheres de sopa de açúcar amarelo
2 colheres de sopa de sementes de linhaça moídas
Meia medida do copo de iogurte com leite em pó
 
  • Cortar a banana e a maçã, juntar o açúcar e levar ao lume numa frigideira anti-aderente e deixar cozinhar até estarem macias mexendo sempre. Deixar arrefecer e reservar.
  • Colocar ao lume um fervedor com 850ml de leite e deixar ficar morno.
  • No copo da varinha mágica colocar o iogurte, a fruta já fria, a linhaça, o leite em pó e 150ml de leite. Passar a varinha mágica e juntar ao leite morno.
  • Passar novamente a varinha mágica. Vão à iogurteira 8h e devem passar a noite no frigorífico.

Comida de Miúdos… e Graúdos

Desde que me lembro de mim com vontade própria e com capacidade de verbalizar que a palavra salsicha tem algo de mágico. As crianças ainda não falam e já apontam para as ditas cujas. Por vezes pergunto-me que fenómeno é este que arrasta multidões, em ovos mexidos, em cachorros, grelhadas, frescas, em lata. Por mim falo, ter uma lata de salsichas em casa salva sempre a barriga da preguiça. Hoje não foi dia de preguiça, foi dia em que o pedido foi massinha mas um armário se abriu e a primeira lata que se viu foi a do feijão preto. Ok ok eu faço o feijão preto com massa. Novamente atrás de mim se abre o armário e oiço salsichas. Vamos lá então fazer uma coisa pouco interessante visualmente mas que aconchega a barriga à mesma velocidade que é feita. Num tacho pequeno colocar meia lata de feijão preto com 2 folhas de louro. Deixar levantar fervura e juntar salsichas de frango às rodelas. Juntar água fervida e assim que levantar fervura adicionar as massinhas com formas de bonecos e que supostamente têm legumes na sua composição.

Nem sempre acredito em tudo o que vejo mas temos que ir cedendo de vez em quando porque é bom que ambas as partes percebam que ceder nem sempre é sinónimo de falta de personalidade. É antes uma capacidade que se possui para levarmos o barco a bom porto.

Quanto às salsichas, muito oiço dizer, a uns mal a outros bem. O certo é que o universo todo conspira para que a sua produção não pare e vá atravessando gerações.

Com Sabor a Banana Split

Não é nova esta receita por aqui. No entanto tinha que registar mais uma vez a textura perfeita, húmida e macia desta fatia com salpicos de chocolate.

Sim, as raspas de chocolate foram a única alteração, ou melhor, introdução, feita à receita que aqui relembro mais uma vez. Um bolo muito fácil, de preparar e de comer, e, que se tornou num dos favoritos cá de casa.

Ingredientes
  • 4 ovos
  • 100gr de açúcar
  • 170gr de farinha com fermento
  • 30gr de farinha integral
  • raspas de 3 barras de chocolate para culinária
  • 3 maçãs
  • 1 iogurte de banana
  • meia medida do iogurte de óleo de milho

Pré-aquecer o forno a 190ºC. Bater o açúcar com ovos durante cerca de 2m até estarem bem cremosos e volumosos. Juntar o iogurte e bater de novo. Envolver a farinha na mistura e o óleo. Por fim as maçãs e as raspas de chocolate. Untar uma forma de alumínio e deitar a massa. Vai ao forno aproximadamente 30m.

Pão de Iogurte

Existem receitas que são amor há primeira vista. Esta foi de certeza uma delas e apaixonei-me. Tinha terminado a minha relação com o Pão. Disse-lhe muitas coisas menos boas. Mas, ele chega de mansinho, vem perfumado com o seu “Pão Quente” e fica ali a olhar para mim. Entramos num jogo perigoso de sedução. Olho para ele, finjo que não o vejo, volto a cara, olho pelo canto do olho, e ele ali continua a lançar-me o seu perfume inebriante. Lanço-lhe um olhar fulminante, abro a gaveta e tiro-a. Pois bem, tu é que pediste e bem ao jeito de uma tragédia amorosa dou-te uma facada, rendo-me e entrego-me. Por fim a merecida dentada, bem ao jeito vampiresco, tentando sugar tudo quanto podia numa fatia pecaminosa com doce de pêssego. Valeu a pena cada caloria.

Ingredientes:
200ml de água
50ml de leite
1 iogurte natural
7gr de açúcar
200gr de farinha T65
300gr de farinha T55
50gr de farinha de Centeio
7gr de fermento seco para pão
 
  • Aquecer o leite com a água até ficar morno e colocar na cuba da máquina do pão juntamente com o açúcar. Colocar o iogurte.
  • Juntar as farinhas e por fim o fermento. Escolher o programa que amassa e leveda.
  • Pré-aquecer o forno a 200ºC. Findo o tempo retirar para a pedra enfarinhada com farinha de milho e tirar o ar à massa moldando um cilindro.
  • Retirar as pás da cuba e colocar lá dentro a massa. Deixar levedar 15m. Vai ao forno 25m. Passado esse tempo retirar da cuba e volta de novo ao forno até ganhar cor a gosto.

Nota: Fiz alterações à receita no que respeita ao tipo de farinha usado, pois não tinha a quantidade pedida. Adicionei leite que não fazia parte da receita inicial, mas enquanto a máquina do pão amassava apercebi-me que a massa estava um pouco massuda e optei por juntar o leite. Tive receio que com tanta alteração o resultado final fosse desastroso…  e foi, para mim que estou de dieta.

Uma Flor…

A noite passada sei que estavas triste comigo. Quis compensar-te, pelo menos tentar. Sei que não tenho feito tudo o que combinámos e depois exijo demais de ti. Por isso, ontem à noite deitei-me e enquanto o sono não chegava desenhei esta flor para ti, porque é Primavera, porque gosto do Branco da Clara e da Mozzarella, e, do Amarelo da Gema também. Afinal acho que gosto de todas as cores mas quando fui ao quintal não encontrei o arco-íris. Aceita com todo o meu carinho esta singela flor e desculpa meu querido corpinho por nem sempre te dar o melhor. Não é perfeita, eu sei. Mas era a mais linda do meu jardim e é toda para ti. Falei com os meus olhos e eles disseram que ias gostar. Acho que gostaste. Prometo tentar portar-me melhor e oferecer-te flores, não para te ver alegre, mas, porque o meu quintal está cheio delas e tu mereces.

Creme de Bolacha

Existem combinações básicas que depois de ver e provar o resultado final fico a pensar como não me lembrei antes de o fazer. Além de guloseima pouco doce para os graúdos acredito que é uma excelente papa para quando os mais pequenos iniciam a alimentação dos sólidos. Ainda me lembro de juntar bolacha moída às papas de fruta cozida, se fosse hoje teria mais uma alternativa e por sinal bem saborosa.

Ingredientes:
500ml de leite
20gr de maizena
50gr de bolachas moídas
15gr de açúcar
 

Colocar o leite a aquecer em lume brando tendo o cuidado de reservar um pouco. Na picadora colocar o açúcar, maizena e bolachas e picar tudo muito bem até estar bem desfeito. Transferir para uma taça e juntar o leite que reservou, mexendo sempre e de forma a que não fique com grumos. Juntar a mistura ao leite que já estará morno e mexer com a vara de arames até engrossar. Colocar em tacinhas e tapar com película aderente para não formar aquela capa grossa típica da maizena. Antes de servir mexer novamente. Comer morno e deliciar-se.

A Desculpa Perfeita

Tinha companhia e por isso a desculpa perfeita para me esgueirar pelas malhas da dieta. E sim, comi sem culpas e soube tão bem! 20m foi quanto bastou para ter a minha massinha com frango e espinfares no forno, regada antes com um pouco de creme culinário light para ligar os alimentos e polvilhada com queijo. A massa foi cozida num pouco de água com sal. Saltearam-se os espinafres em azeite e alhos picados e a eles se juntou um peito de frango cozido e desfiado. Colocar um fio de azeite no fundo de pequenas travessas de ir ao forno, a massa, a mistura de espinafres, o creme culinário e polvilhar com queijo. O forno já estava pré-aquecido nos 200ºC e foi só para dar uma cor ao queijo.

Sweet Rolls… Irresistíveis

Fiz estas maravilhas no dia de Camões, e, tal como nos Lusíadas, rumei por “…mares nunca de antes navegados..” e atraquei do outro lado do Atlântico. Não encontrei Cristóvão Colombo sentado num ovo mas encontrei uma receita de massa de brioche deliciosa, macia, levemente perfumada e irresistível. Para ver maior clicar em cima da imagem.

Esqueçamos as dietas, ou, talvez não. Deixemos as proporções para os entendidos e eu não serei certamente, mas, na minha modesta opinião engordam os exageros, as escolhas menos acertadas. A minha intuição diz-me que não podia estar mais certa de que esta massa é das melhores que já fiz, muito fácil de trabalhar, de comer e se voltar a pensar em proporções algo me diz que pouco açúcar e pouca manteiga não me estragam a linha, afinal os cereais estão na base da alimentação. Sejam bem-vindos ao meu lanche.

Nota: Fiz a receita com a ajuda da batedeira com os ganchos colocados e sovei-a à mão. Mas podem perfeitamente usar a máquina do pão para amassar. Não se deixem intimidar pela longa de lista de itens, afinal, somos Conquistadores.

Ingredientes:
250ml de leite
65gr de manteiga
50gr de açúcar
Essência de baunilha – 10ml
11gr de fermento seco
2 ovos
600gr de farinha T65
1 gema e 4 colheres de sopa de leite para pincelar
 
  • Num tacho colocar o leite, o açúcar, a manteiga e a essência. Deixar a manteiga derreter e mexer de vez em quando de forma a que o açúcar derreta. Deixar arrefecer até estar morno para usar.
  • Colocar a mistura morna num alguidar, ou na cuba da mfp, e juntar os 2 ovos ligeiramente batidos com um garfo. Juntar a farinha com o fermento, adicionar em 3 vezes e ir batendo em velocidade lenta à medida que a vai acrescentando. Se o fizer na mfp adicionar de uma vez só. Se achar que a massa está muito peganhenta juntar mais um pouco de farinha até que se solte das paredes do alguidar ou das paredes da cuba. O objectivo é obter uma massa elástica e que não se cole às mãos, e, portanto fácil de trabalhar.
  • Se usar a mfp escolher o programa que amassa – 15m na minha. Se fizer à mão, depois de obter uma massa que se solte das paredes do alguidar, amassar na bancada enfarinhada até obter uma massa lisa e elástica.
  • Untar uma taça com um pouco de manteiga e colocar a massa lá dentro, também esta untada com manteiga. Este procedimento será mais fácil de realizar com a ajuda da manteiga derretida ou de creme culinário.
  • Tapar com um pano e deixar levedar até dobrar de volume. Eu coloquei no forno com a luz acesa  enquanto fiz o almoço. Passado 45m já tinha duplicado o volume.
  • Retirar o ar na bancada e voltar a colocar na taça. Tapar com um pano e vai para o frigorífico mais 20m.
  • Findo o tempo retirar o ar à massa e com a ajuda do rolo esticar e dar as formas pretendidas. Para os mini croissants usei os pratos de sobremesa para fazer o círculo e depois foi só cortar em triângulos com a faca e enrolar da parte maior para a ponta.
  • Pré-aquecer o forno a 180ºC. Forrar o tabuleiro do forno com papel vegetal e colocar a massa com as formas desejadas. Pincelar com a gema batida com o leite e vão ao forno cerca de 15m até dourarem. Deixar arrefecer numa rede e deixem-se levar pelo seu sabor irresistível, simples ou com um pouco de doce.

Paleta de Cores

A Primavera emprestou-me a sua paleta de cores. Peguei num pincel e pintei de vermelho o pimento que cortei em pedaços. Depois no verde, pintei os espinafres, e, dei vários tons a uma couve coração. Usei o castanho para desenhar a pimenta e um branco para colorir meia dúzia de alhos. Voltei à caixa dos pincéis e tirei um para usar no amarelo de 3 ovos, e, de novo peguei no verde para uns salpicos de ervas secas que a eles se juntaram. No dourado do azeite e no branco dos alhos misturei todas as cores, que temperei de sal e pimenta e deixei-as cozinhar até estarem mais moles. Por fim deixei arrefecer a minha tela e juntei-lhe o vermelho de um tomate e o verde dos coentros. Com o amarelo pintei a omelete que depois enrolei só para ficar bonita. Sim, os olhos também comem, falam e sentem.

Solta o Cachorro… Light

Mais uma vez a minha velha receita de pizza, minha como quem diz, a que tenho há bastante tempo e nunca falha, revelou ser a companheira ideal para eu soltar os cachorros. Deliciosos e muito, mas muito, rápidos, e, fáceis de fazer. Cerca de 45m é quanto basta para soltar os cachorros na mesa.

A receita abaixo rende 6 cachorros do tamanho das salsichas grandes tipo “Hot Dog”.

Ingredientes para a Massa:
210gr de farinha T65
Pitada de sal fino
11gr de fermento seco
15ml de azeite
15ml de mel
110ml de água morna
 

Colocar todos os ingredientes numa taça, colocar os ganchos na batedeira e amassar até se descolar das paredes da taça. Polvilhar com farinha e deixar levedar 15m no forno a 50º. Aumentar a temperatura para os 200ºC e retirar a massa e amassar para tirar o ar que ganhou. Dividir em porções iguais e esticar na pedra enfarinhada dando-lhe o formato oval e do comprimento da salsicha.

Pincelar com um pouco de Ketchup Light, polvilhar com queijo e colocar a salsicha. Enrolar e já está. Vai ao forno cerca de 15-20m. Deixar arrefecer numa rede de preferência. Eu não consegui, a primeira dentada tinha que ser minha. Comi 2 e já sei que amanhã vou pensar neles quando as pernas doerem e eu começar a suar. Mas soube tão bem…

Não Resisti…

A minha cama deu-me um sono bem descansado, acordei cheia de energia e fiz-me ao caminho. Cheguei a casa e olhei para ti, não te resisti e fiquei triste por não estares ao meu lado. Lavei-as, tirei-os da frasco, cortei os que estavam na caixa, abri o saco, tirei, salpiquei, e de novo cortei. Por fim um merecido banho em vinagre balsâmico e um pequeno fio de azeite, e sim, senti a tua falta meu querido ovo cozido por não estares a meu lado. Afinal não te deixei esperar, pois enquanto te fazia esta delicada e colorida cama não te resisti, e, assim partiste deixando para trás as tuas cascas… e que bem que me soube.

Não preciso de muito mais para ficar satisfeita, grão, alfaces, frutos secos, coentros, tomates e só para te matar o bichinho da gula uma singela fatia de salame.

Quando Temos 2 e Só Há 1…

Quando temos dois e há apenas um há que dividir. Aqui fica uma sugestão rápida, fácil e saborosa que a criançada vai adorar. Tão simples quanto colocar cereais de chocolate no fundo de uma taça, por ex: Nesquik, cerca de metade de 1 iogurte grego natural açucarado e picar gelatina. Terminar com o restante iogurte e colocar uma bolinha. Assim simples, bem dividido e sem birras.

Iogurte Bifidus +

Quando dois se juntam podem dançar o tango ou fazer iogurtes. Nesta história juntaram-se um iogurte bifidus e um iogurte natural. Tive medo que durante a dança o bifidus se atrapalhasse e acabava-se o espectáculo, mas, correu tudo bem, ficaram muito bons e com um sabor muito suave.

Achei que ficariam com mais sementinhas. Das poucas que haviam, umas subiram e outras quiseram ficaram no fundo. Nada que numa próxima não se resolva misturando flocos de aveia.

Ingredientes:
1 iogurte natural
1 iogurte bifidus
1l de leite gordo
30gr de açúcar amarelo
Meia medida do copo com leite em pó
 
 
 
  • Colocar cerca de 900ml de leite ao fogo e deixar ficar morno e reservar 100ml.
  • Numa tacinha misturar o leite em pó e o açúcar.
  • Juntar os iogurtes e mexer bem até estar tudo bem misturado.
  • Acrescentar os 100ml que reservou à mistura dos iogurtes e mexer bem.
  • Por fim juntar a mistura obtida ao leite morno e mexer bem com uma vara de arames.
  • Distribuir pelos copos e colocar na iogurteira 12h. Devem ir ao frigorífico pelo menos 3h, pelo que a minha sugestão será sempre fazer de véspera para passarem a noite na iogurteira e assim ao almoço já temos iogurtes na mesa.

Quando o Calor Aperta…

Quando o calor aperta o corpo pede pouco mais do que água e fruta, mas, como também pede um pouco de outras coisas façamos a sua vontade. Deixemos o grão e a mozzarella, cortada em fatias, rolarem numa travessa, acompanhados de uns lombos de atum em azeite, e, levemente refrescados com um fio de azeite e coentros. Antes de servir, ainda houve uns tomates pequenos e perfumados que se quiseram juntar à travessa, e eu, fiz-lhes a vontade. Degustemos cada grão na companhia de uma salada com frutos secos e por momentos esqueçamos que a cozinha é complicada e quente no Verão. Afinal 10m são quanto basta para ter a comida na mesa.